sábado, 17 de janeiro de 2009

E POR FALAR EM DROGAS, PARA QUE SERVE (BY RS) PAULO UCHÔA?



O famoso (quem mesmo?) em questão vem a ser o General-de-Divisão do Exército Brasileiro, Paulo Roberto Yog de Miranda Uchôa, que exerce a função de secretário nacional da SENAD - Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, órgão vinculado ao Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

Não tenho maiores informações sobre o secretário, salvo que exerce o cargo desde os primeiros dias do governo Lula. Suponho que deva entender da matéria... Quanto ao seu desempenho não tenho expertize para avaliar, mas a julgar pelas notícias de crescente consumo de drogas e pelo "Estado Paralelo" representado pelos traficantes em muitas cidades brasileiras, não faz crer que seja dos mais notáveis.

Confrontado com imagens de uma "crackolândia" a poucas centenas de metros de seu gabinete, saiu-se com essa pérola: "Não é o órgão do governo que vai resolver o problema da droga; mas é o pai, é o professor, é a mãe, é o clube de serviço (sic), é o sindicato, é a associação, é a escola..." (vejam aqui)

Bem secretário, sempre acreditei que professor servisse para ensinar, escola para educar, clubes e associações para associar pessoas, sindicatos para representar trabalhadores ou outras classes... Mas já que não é o órgão do governo que vai resolver o problema, que tal extinguí-lo?

26 comentários:

  1. Tem um monte de ministro e gente com status de ministro nesse governo que só aparece quando perde uma boa chance de ficar calado.

    ResponderExcluir
  2. Na bucha, AP!

    É exatamente o que você falou, a começar pelo maior representante desse governo.

    É claro que que esse governo tem méritos; todos os tem, até os piores. Mas o mito do presidente e dos "avanços" obtidos requer certo esforço de desconstrução de imagem, sob pena da propaganda deslavada prevalecer.

    ResponderExcluir
  3. Olá, erreeme:

    Freqüento, freqüento, sim, com trema e tudo o mais... Óia eu aqui traveis.
    O "pobrema" (como pronunciam o Lula e a grande maioria dos que recebem o bolsa-esmola)é que nem sempre tenho o que comentar.
    Por exemplo: neste caso, o tal general Uchôa é mais um aparelhado no governo petelho -- e uma das características deste (des)governo são as sandices que vêem a público todos os dias.
    Se gostasse de trabalhar e se tivesse competência, o general poderia pelo menos sugerir a adoção de uma série de providências e de leis que estão funcionando, por exemplo, na Colômbia. Se está dando certo lá, por que não daria aqui?
    Nossos traficantes são do tipo jabuticaba, que só existe no Brasil?
    O "pobrema" é que o Lula não sabe comandar nem cobrar de seus subordinados -- e tem medo de se indispor com a área militar, a quem está entregue a GSI.
    Abraços, amigo.

    MR
    17/01 - 12:58

    ResponderExcluir
  4. Grande MR,
    sim, o chamado "aparelhamento" é uma característica marcante desse governo, embora o chefe desse cara tenha sido herdado do governo anterior, salvo engano.

    Outra característica é o uso abusivo do assembleísmo, do trololó, da conversa mole pra boi dormir. O site do órgão vale uma visita (www.senad.gov.br), parece o de um diretório acadêmico universitário...

    O cara tá 6 anos no mesmo cargo e não mostrou nada, além de seminários, pesquisas, trololós e o escambau. Demorou esse tempo todo pra mandar um projeto mequetrefe pro Congresso, no qual sobressaía a distinção jurídica entre usuário e traficante (com o que, inclusive, concordo). Ah, ele defende os projetos do ministosta (ministro de bosta) da Saúde, de distribuição de seringas e um cadastro de usuários, tese pra lá de polêmica (você não, né? rsss).

    ResponderExcluir
  5. Eu “tenderia a concordar”, Roney...(rs).

    Mas, à parte de o Secretário ser ou não competente para as ações efetivas de políticas públicas de combate às drogas e da repressão ao narcotráfico ser de responsabilidade das autoridades, além de uma questão, inclusive, de saúde pública, também da responsabilidade do Poder Público, enfrentar as conseqüências do uso viciante de drogas lícitas ou ilícitas e os danos advindos à família, comunidades e sociedade é um desafio que reclama o engajamento dos vários setores, como escolas, associações, sindicatos, instituições, ONGs...

    Então, nos dias de hoje em que as drogas estão na vida de crianças e jovens cada vez mais cedo, é importante um programa de caráter educativo e preventivo envolvendo pais e professores, para orientação correta e conscientização sobre o perigo que as drogas representam.

    E o tratamento adequado ao dependente, não apenas pelos órgãos públicos, pode e deve ter o acompanhamento pela família e por grupos de ajuda do meio social em que vive como necessário suporte até para permanecer abstinente.

    As drogas estão em toda parte e facilmente acessíveis. Não só as ilícitas do narcotráfico como também uma gama de outras drogas, até mais consumidas e aceitas como o álcool, o tabaco, calmantes, estimulantes, anabolizantes, que pelo uso abusivo delas, além dos danos físicos e psicológicos para o usuário e seus familiares, muitas vezes estão ligadas a casos de violência que nos afeta a todos, desde agressões domésticas ao tráfico de drogas.

    O problema não se resolve apenas com políticas públicas de prevenção e combate às drogas; sabemos - ou deveríamos nos conscientizar, que as ações positivas neste sentido cabem também a cada um de nós, sim.

    A propósito, o site antidrogas tem informações relevantes sobre as drogas. Recomendo. 

    ResponderExcluir
  6. Cora, eu também tenderia a concordar (rs)...

    Não fosse o fato de que todo esse trololó resultasse em absolutamente nada de resultados.

    Pergunto:

    1) Quais os avanços na redução do consumo de drogas, obtidos pela BRILHANTE administração petista?

    2) Quanto à oferta, terá ela provocado algum CRACK no eixo contrabando-tráfico de drogas e armas?


    (o site é bom mesmo, mas para pesquisas escolares somente...)

    ResponderExcluir
  7. O Pior Homem do Mundo18 de janeiro de 2009 18:15

    RM,

    Sabe explicar por que não consigo comentar no blog daquela desgraçada infeliz que desenhou, ao estilo de anta, o portuga fumando maconha?

    ResponderExcluir
  8. Concordo com a Cora, do princípio ao fim.

    Por exemplo, o RM abusa do tabaco e o Geraldo, pode até não abusar, mas tem sempre mais garrafas de uisque vazias do que cheias; já eu, outro exemplo, abuso do café.

    O Paulo Uchôa serve para preencher o quadro orgânico dos ministros e para demonstrar de uma forma inequívoca (perto do final de cada mês, no mínimo) que a democracia tem coisas muito boas.

    Aposto que a Cora também é democrata, acertei?... Rsss...

    ResponderExcluir
  9. Portuga, seja com qual codinome,
    eu abuso também do café (entre outras coisas...).
    Não seria porque ela instalou um sistema anti-babaquices?

    ResponderExcluir
  10. Ah Portuga!
    E já que você concorda com a Cora (e que bom que, às vezes, concorde com o bom senso e o equilíbrio), que tal responder às perguntas que fiz a ela?

    ResponderExcluir
  11. RM, posso mesmo responder às suas perguntas dirigidas à Cora?... Uhahuahuahuau!

    1ª. Pergunta": Quais os avanços na redução do consumo de drogas, obtidos pela BRILHANTE administração petista?

    Resposta: Prenderam um portuga fumando maconha. "Lá uma hora, o pulha, mais por medo das trouxinhas estourarem que burrice, acabou confessando que embrulhou 48 gramas de haxixe em 12 trouxinhas de plástico, cada uma com 4 gramas. Engoliu 24 gramas e enfiou mais 24 no ânus ... mais por prazer que tráfico"... Você achou muito divertido, lembra?

    2) Quanto à oferta, terá ela provocado algum CRACK no eixo contrabando-tráfico de drogas e armas?

    Resposta: Bem, há um impasse instituciomal, uma vez que a "A Polícia Federal fez questão de declarar que não se responsabilizará pelo tratamento das bizarras hemorróidas que surgirão antes, durante e depois dos procedimentos da Polícia Forense".

    ResponderExcluir
  12. Desculpe, prezado Portuga,
    mas não respondestes nenhuma das duas questões:

    1) Primeiro, referí-me ao consumo de drogas e não ao combate ao tráfico. Segundo, não é tarefa da SENAD coibir diretamente o tráfico de drogas; cabe às polícias nas suas diversas esferas de competência. Por exemplo: não fosse o MELIANTE (rsss) preso pela Polícia Federal em um aeroporto internacional, o seria pela polícia estadual correspondente, no caso de Minas uma polícia "tucana"...
    Já os detalhes do modus operandi do CRIMINOSO (rsss) nada tem a ver com o assunto aqui tratado. E sim, achei muito divertido, mas "mas é tudo a brincar, homem!, não são balas verdadeiras e que não passa de um pouco de humor negro..."

    2) Como você bem disse, não é por se prender um portuga (ou outro traficante pé-de-chinelo de qualquer nacionalidade) com meia dúzia de trouxinhas de maconha, que vai se conseguir imprimir derrota importante à oferta de drogas.
    Quanto ao referido impasse, quem sabe, no decorrer do processo, requeira-se o auxílio de peritos em desenho ou pintura que, "mesmo as pessoas que não têm a fortuna de possuirem dons especiais, não há que desanimar: a perseverança, o esforço, o trabalho, a aplicação abnegada e um cheirinho de maconha, lgram [logram] por vezes óptimos resultados, desenhando na nossa mente e no blog da Beth os traços de perfis de pessoas que, mais por dedicação que intuição, queremos pintar."

    Ah, "admito até a possibilidade de um ou outro disparo não ser certeiro; mas" você passou muito longe de responder às questões...

    ResponderExcluir
  13. Ah, você tem razão... Não entendo muito de maconha nem de maconheiros, nem sei responder às questões relativamente a esses assuntos de estupefaciente.

    Por que não pergunta à Beth, hein?... Ela é muito inspirada (snif) nesse tema.

    (PS. Não pergunte ao MR, que vai logo colocar as culpas no Lula.)

    ResponderExcluir
  14. Meu caro Portuga,
    foi vossa douta figura quem se dispôs a responder. A Beth, ao que saiba, não se pronunciou aqui nem concordou com a opinião que sucitou as perguntas. O MR já se pronunciou. Leia, por obséquio.

    ResponderExcluir
  15. O Pior Homem do Mundo18 de janeiro de 2009 22:36

    Mentira:

    1º.) O MR pronunciou-se sobre o post antes de você formular as perguntas à Cora;

    2º.) Porque a Beth não se ter pronunciado (ela é daquelas que atita a pedra e esconde a mão) é que sugeri que lhe perguntasse.

    3º.) Você é que me convidou a responder às perguntas que fez a ela, e , eu, com o dobro da cavalheirice e metade de cafagestice que você tem, tentei fazer o melhor...

    ResponderExcluir
  16. Não, prezado, Não tenho paciência pra mentir.

    1) Não falei que o MR se pronunciou depois de qualquer coisa, apenas que já tinha se pronunciado. Leu não?

    2) Pelo que sei não há nada escondido no blog dela. É público.

    3) Eu o convidei por que o cavalheiro em questão disse ter concordado integralmente com o referido comentário. Ah, tem razão quanto ao resto do dito: posso ser bem mais cafajeste que tenho sido até aqui. Quer pagar pra ver?

    ResponderExcluir
  17. O Pior Homem do Mundo19 de janeiro de 2009 00:18

    RM,

    O MR tinha-se pronunciado relativamente ao post, mas não havia respondido às perguntas (nem estavam colocadas sequer).

    Você tem dois pesos e duas medidas perante blogueiros /comentadores e blogueiras /comentadoras : se fosse eu - porque sou homem - a escrever aquele post que ela escreveu, atingindo terceiras pessoas - também suas amigas - você não teria achado a gracinha que achou - por ela ser mulher-, e teria dito que eu era deselegante, desrespeitador, etc..., como sempre fez... mesmo sendo o meu blog "público" e as pessoas que eventualmente pudessem sentir-se ultrajadas sempre tiveram o seu espaço para se manifestarem - sem ter de ser você a fazê-lo por elas.

    Claro que você é, além de sexista, muito mais cafageste do que diz, nem preciso de apostar: tenho a certeza.

    O que não entendo é a sua necessidade mórbida de agradar a todas as mulheres... Parece um trauma...

    ResponderExcluir
  18. Estavam colocadas sim, Portuga.
    Ou você não leu o post ou não o entendeu. Provavelmente tenham ocorridos problemas de tradução (translation).

    É claro que tenho dois pesos e duas medidas e prefiro os pesos e, principalmente, as medidas femininas. Você não? Ora, desculpe, não conhecia esse detalhe de sua biografia...

    Pelo que sei, a moça usou apenas de direito de resposta, tendo sido vossa cavalheira pessoa a provocar, de forma deselegante, grosseira e gratuita; a referida reação.

    Não tenho nenhum motivo para justificar-me, para você, por que faço ou deixo de fazer qualquer coisa; muito menos de defender pessoas das quais gosto, de "brincadeiras" suas, de duvidoso gosto ou explícita má intenção.

    Também não faço questão que entenda minhas "necessidades", mas posso garantir-lhe que de mórbidas nada tem. Talvez você caracterize as suas assim; por favor não generalize...

    Quanto à "traumas", estou à sua disposição. Moro em BH, MG. Apareça aqui!

    ResponderExcluir
  19. Ah, sim. A disseminação do uso e abuso das drogas entre as camadas sociais mais pobres e a expansão de viciados comprova a ausência de políticas efetivas e a inoperância do Governo no cumprimento de suas funções na questão da prevenção, controle e combate às drogas. Ok.

    O tráfico de drogas é crime globalizado e desencadeia muitos outros, que exige ações conjuntas e políticas convergentes no âmbito nacional e internacional. E nesse sentido há muito o que ser feito. Não é tarefa fácil, considerada a conjuntura de fatores como problemas sociais, a grande extensão territorial e o próprio despreparo das autoridades do país na contenção e repressão ao narcotráfico.

    Estamos concordes que é preciso reduzir a oferta e a demanda de drogas. As soluções não são fáceis e estão longe dos “bla bla bla” e “trololós”.

    Mas as diferentes dimensões da questão, entretanto, não dissociam a família e a sociedade de conhecer e abordar o problema com critério de responsabilidade. Eu acredito mesmo que ações conjuntas família/sociedade civil/governo possam mudar significativamente o quadro.

    PS: O site, tecnicamente, é meio mequetrefe, mas as informações são pertinentes e direcionadas aos jovens estudantes.

    PS2: Mr. Almost, sou muito democrática...

    ResponderExcluir
  20. Opa, não havia atualizado a página... Parece que o assunto mudou o foco...Mas que droga! (rs)

    ResponderExcluir
  21. PS:... Ficou mais divertido...

    ResponderExcluir
  22. Cora,
    você tem toda a razão e já a tinha no comentário anterior.

    Mas há uma secretaria NACIONAL, dedicada ao tema, subordinada ao importante gabinete institucional da Presidência da República, ocupado por um oficial de alta patente e que, entre outras atribuições, controla (?) a ABIN e o SIVAN.

    Não falei que seja tarefa fácil desarticular o crime organizado internacional, mas afinal, quais foram os avanços obtidos?

    Claro que é necessária a participação da sociedade civil na prevenção e tratamento e, talvez, até na repressão ao uso de drogas. Isto é elementar, não é necessário que um general de divisão faça tal apologia. Como também não é necessária a existência desse órgão para produzir estatísticas: a universidade ou os centros de pesquisa o fazem melhor.

    Mas o pior é o titular do órgão reagir como se não fosse problema dele a verdadeira epidemia de uso de crack na capital federal.

    Em qualquer país sério, governado por gente séria, esse caboclo tava na rua no dia seguinte à sua declaração estúpida.


    Ps: mudou o assunto? Nem notei...

    ResponderExcluir
  23. Pois é, RM. No ponto do post em que discordamos, agora estamos concordes...rs.

    Bjim

    ResponderExcluir
  24. Beth:

    Estou pasmo com a facilidade com que, suavemente provocada, revelou o seu verdadeiro carácter... de mulherzinha de rua. Que vulgaridade!

    Você tem cá um nível, hein?...

    Ra ra ra ra!

    ResponderExcluir
  25. Pedro,
    sobre esse assunto eu já falei o que tinha pra falar.

    Fique à vontade para insistir no tema; mas o considero encerrado, salvo se você quiser tratá-lo pessoalmente.

    Como disse, tenho endereço fixo e telefone na lista.

    ResponderExcluir
  26. RM,

    Por mim o assunto está também encerrado. Foi uma simples experiência para testar o nível cultural e da personalidade da Maria Elizabeth... que é, como se viu, abaixo de.... Ah, sim... Assunto encerrado.

    -------(ASSUNTO ENCERRADO)---------

    ResponderExcluir