quinta-feira, 21 de maio de 2009

DE POETAS E FANTASMAS (4)

Ouro feminino (1ª parte)

......................Para Maria Luiza, menina maluquinha


A histórica Ouro Preto, naturalmente, também foi feita por mulheres, de todos os tipos; mulheres de poetas, mulheres-poetas, mulheres-loucas, mulheres-lendas... A nova postagem da série (cliquem aqui para ler as anteriores) apresenta algumas dessas mulheres, que tiveram seus nomes definitivamente ligados à cidade.

Olympia Angélica de Almeida Cotta ou, mais simplesmente, Dona Olympia, é considerada por muitos a primeira hippie brasileira. Foi tema de música (Toninho Horta e Ronaldo Bastos), modelo para inúmeros fotógrafos e pintores e até enredo de escola de samba (Mangueira, 1990). Típica "louca de rua", viveu em Ouro Preto entre as décadas de 1950 e 1970 e usava roupas e chapéus coloridos e floridos, além de um inseparável cajado.

Célebre entre moradores, turistas e até políticos, dona Olympia gostava de contar histórias, nas quais fantasia e realidade se misturavam e não raro ela mesma figurava entre as personagens da Inconfidência ou nos saraus da Corte imperial no Rio de Janeiro. Também era famoso seu jeito sincero e enérgico, que amedrontrava alguns...

Conta a lenda que, nascida em rica família de Mariana (cidade vizinha a Ouro Preto), enlouqueceu por conta de uma desilusão amorosa: "'Ela era linda na juventude, muito bonita mesmo, e se apaixonou por um estudante de farmácia pobre. O pai, com medo de o rapaz estar tentando dar o golpe do baú, proibiu o romance. Tempos depois, ela resolveu se vestir de maneira excêntrica, vagando por aí, inventando casos. Um jeito de enfrentar o pai e a dor', explica a artista plástica Maria Efigênia Pereira, de 71 anos, cujo pai teria sido amigo do tal estudante de farmácia. Segundo a artista, depois da proibição, o casal passou 15 anos sem se encontrar. 'Um dia ele veio a Ouro Preto para o reencontro com colegas de faculdade. Houve uma comemoração e Olympia apareceu. Os dois começaram a chorar muito. Na semana seguinte, o homem morreu. Não agüentou de emoção'" (extraído daqui). Já Olympia só veio a falecer em 1976, aos 87 anos.


"Beco da Olympia"


A poeta
Elizabeth Bishop foi um dos nomes mais destacados da literatura em língua inglesa do século passado, sendo premiada, entre outros, com o Pulitzer Prize e o National Book Award. Viveu no Brasil cerca de 16 anos (décadas de 1950 e 1960), muitos dos quais em Ouro Preto, onde chegou a comprar uma casa (cliquem aqui para uma rápida biografia e aqui para um site completo dedicado à autora). Sua ligação com o Brasil, a princípio fortuita, acabou influenciando sua obra, segundo seus biógrafos e críticos. Foi também tradutora para o inglês de alguns dos mais importantes poetas e escritores brasileiros, como Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira e Clarice Linspector, entre outros (cliquem aqui para uma lista completa de sua obra).

Conheço pouco a obra da escritora e suponho que o poema adequado à esta postagem fosse Under the Window: Ouro Preto, mas gostei muito de One Art. Na sequência trechos de ambos, traduzidos (por Maria Lúcia Milléo Martins e Paulo Henriques Britto, respectivamente):

Sob a Janela: Ouro Preto

"...A água corria das bocas
das três caras de pedra sabão. (Uma ria,
a outra chorava; a cara do meio apenas olhava.
Engessadas sem cuidado, agora estão no museu.)
A água corre de um único cano de ferro, um jorro
forte, como corda tenso. "Frio." "Frio como gelo"...

A Arte de Perder

"A arte de perder não é nenhum mistério;
Tantas coisas contêm em si o acidente
De perdê-las, que perder não é nada sério.
Perca um pouquinho a cada dia. Aceite, austero,
A chave perdida, a hora gasta bestamente.
A arte de perder não é nenhum mistério.
Depois perca mais rápido, com mais critério:
Lugares, nomes, a escala subseqüente
Da viagem não feita. Nada disso é sério.
Perdi o relógio de mamãe. Ah! E nem quero
Lembrar a perda de três casas excelentes.
A arte de perder não é nenhum mistério.
Perdi duas cidades lindas. E um império
Que era meu, dois rios, e mais um continente.
Tenho saudade deles. Mas não é nada sério.
- Mesmo perder você (a voz, o riso etéreo que eu amo) não muda nada.
Pois é evidente
que a arte de perder não chega a ser mistério por muito que pareça (Escreve!) muito sério. "


Casa de Bishop


Os fantasmas
Escolhi a lenda da Mãe-de-Ouro, na versão de Lavras Novas, um dos muitos distritos de Ouro Preto. A rigor, trata-se de lenda comum a praticamente todas as culturas, ligando-se ao chamado fogo fátuo, reação química típica de cadáveres humanos ou de outros animais.

No presente caso (como também em outras regiões mineradoras do Brasil) ganhou contornos específicos: a bola de fogo indicaria os locais onde se encontravam jazidas de ouro, mas que não deveriam ser exploradas, sob pena de ocorrerem perigos ou desgraças. Numa de suas variantes a bola de fogo se transformaria numa linda mulher, vestida de seda com os cabelos dourados esvoaçantes. Noutra, ainda mais curiosa, a tal mulher atrairia homens que maltratavam suas esposas, fazendo-os abandonar suas famílias, mas providenciando outro marido para a esposa maltratada...

A região de Lavras Novas é, atualmente, objeto de exploração turística, atraindo muitos visitantes por suas belezas naturais e séculos de história (mais aqui).


Vista do distrito de Lavras Novas



ATUALIZAÇÃO (24/05/09 ÀS 12:30 HS.)

Beth, moça baiana com um pé no mundo, inspirou-se nesse postinho para escrever um ótimo texto sobre a poeta/poetisa americana-canadense e outras gentilezas (leiam aqui). É reincidente essa nega; numa postagem dessa mesma série já havia respondido, com igual suavidade e criatividade de sobra (leiam aqui e aqui).

Thanks, Beth!

.

79 comentários:

  1. Interessantíssimo post, RM.

    Não conhecia nenhuma das personalidades aludidas no seu texto e não conhecia as lendas.

    Gostei de conhecer.

    Há apenas um "senão" no seu texto, mas, para não dizerem que sou ciumento, nem vou falar. Rsss...

    ResponderExcluir
  2. A arte de perder é algo a ser aprendido...

    interessante post... gostei :-)

    beijo

    ResponderExcluir
  3. rm, vc fez um belo trabalho de pesquisa e uma excelente homenagem as Ouro Preto e suas mulheres...
    Minas é cheia de mulheres que merecem ser homenageadas todos os dias!

    A história de Dona Olympia eu não conhecia...

    Pena o final triste...


    Bishop ja sentencia...

    "Perca um pouquinho a cada dia..."


    Moço, melhor que falar de Lula...rsrsrs

    Mas claro, seus posts são ultra informativos, apesar de ser "indigesto"...rsrsr

    Mas essa sua clareada agora foi genial! Seu blog ficou até mais clean...rsrsr



    Mas atentei bem!


    Post o que quiser... Serei sempre sua fã...rsrsrs


    Beijos avassaladores!

    ResponderExcluir
  4. Acho que ainda não entendi o recadinho de Mr. Almst...


    Diz que não é ciumento?


    Sei não...rsrsrs

    ResponderExcluir
  5. ...d.e.l.í.c.i.a!

    Esta série é uma "cornucópia" (como se refere à fascinante Ouro Preto o Padre Simão, da Paróquia Nossa Senhora do Pilar).

    É tão bacana te ver a devassar os segredos da avassaladora região mineira!!! (rs)

    ResponderExcluir
  6. Mr Portuga,
    muito apraz este chalezinho saber que o ilustre representante do Priorado gostou do modesto postinho...
    Só um senão? Ué, tô melhorando... rss

    Anne,
    uma professora de literatura aí do sul do país (Santa Catarina, salvo engano) fez um interessante trabalho, comparando as obras de Bishop e Drummond (que trocaram cartas durante um bom tempo).
    Concordo contigo, mas é bom não acostumar a só perder, né? Ganhar, vem em quando, também é interessante...

    Ava,
    thanks, querida!
    Você quer só gentilezas? Nada de venenos nem peçonhas? rss
    Se o Portuga é ciumento? Quaqua e qua

    Cora,
    sumiu, nega! Tudo bem?
    E assim vamos devassando a avassaladora, não? rss
    Thanks, querida!
    (É padre Simões)

    ResponderExcluir
  7. Virge! Pedi tanto e agora... ai, Érrezinho, volto aqui prá ler com calma!
    ... fotos estão lindas! adoro a sensação... seiláoquê que imagens de roupas no varal despertam.

    ResponderExcluir
  8. Rm.
    Adoro os seus escritos sobre fantasmas e lendas. Você arrasa nas pesquisas e nas homenagens que faz as fêmeas de Ouro Preto e de outros ‘ouros pretos’. Obrigada por contar bem tanta história legal!

    Uma coisa que me encantou no seu post, foi o varal de roupas na casa de Bishop. Tenho veneração por varal de roupa. Já perdi a conta das vezes em que fiquei sentada perto de um varal observando roupas lavadas esvoaçando loucamente no ar. Agitadas pelo vento, adejam sem parar... parecem ansiosas para levantar vôo. Algumas escapam daquilo que as prendem no arame, caem ao solo e ficam sujas novamente. É muito lindo!

    Tenha um bom dia!

    Já fui. Vou lavar roupa para estender no meu varal.

    Abracadabra!

    ResponderExcluir
  9. Cora,
    é! rss

    Udi,
    perdeu nada, nega!
    Aguardo seu retorno...
    (engraçado como sua impressão coincidiu com a da Beth...)

    Beth; nega baiana,
    menina, vou acabar acreditando que tenho jeito pra coisa, heim? rss
    Moça de olhar aguçado como você (e a Udi, entre outras) chama minha atenção para um detalhe da maior importância, mas que foi puramente ocasional.
    Thanks, querida!
    Pé de cabra!

    ResponderExcluir
  10. rm, uma dose pequena de venenos eépeçonhas é nada mal...rsrsrs


    Vc torna qualquer assunto interessante...rs



    Sobre esse devassar nem vou comentar, afinal eu não to entendendo nadica de nada...rsrsrs

    ResponderExcluir
  11. Ei Roney.
    Não tinha visto o comentário de Udi quando postei o meu. É, parece que ela também gosta de varal de roupas. Sensível, a moça!

    Olha, eu cheguei atrasada no show de Juliana, mas comprei o CD, cara. Tenho a música aqui comigo. E aí? como faço o upload?

    Desculpa a lentidão, cabra safado!

    ResponderExcluir
  12. Ava,
    pequena? Anotado! rss
    Ué, nem euzinho tô entendo: a Cora voltou meio estranha, não? rss

    Beth,
    moleza, baianinha!
    First step: salve a música desejada em seu computer, no formato mp3 (precisa explicar também? Não, né?)
    Second: inscreva-se num desses sites que hospedam músicas (eu uso o goear.com e o mp3tube.com).
    Third: faça o upload da música (é auto-explicativo).
    Last: copie o código embeb para o seu site.

    ResponderExcluir
  13. ^.^

    dois desentendidos se entendem!

    ResponderExcluir
  14. Obrigada, mineiro retado! Vou seguir os seus steps. Você também é um excelente guia de turismo tecnológico!

    ResponderExcluir
  15. Cora,
    rss. Ou, como já ouvi de outra ilustre confreira: "é conversando que a gente se desentende..."

    Beth,
    nada, nega! Disponha...

    ResponderExcluir
  16. Anotado... Já é a segunda vez!

    Dois "anotados"...


    Isso é para cobranças futuras? rsrsrsrs


    As coisas andam estranhas mesmo...rsrsrs


    Beijos avassaladores!

    ResponderExcluir
  17. Puxa, dois dos meus tópicos preferidos. E duas coisas que Minas tem de sobra: poetas e lendas fantasmagóricas (quando fui para Tiradentes, passamos uma noite na varanda do contador de histórias da região. inesquecível.)

    ResponderExcluir
  18. Ava,
    querida! É porque a memória já não é tão boa quanto era no tempo em que tinha a idade do Portuga... rss
    Nada de cobranças. Já falei que não sou ciumento, esqueceu?

    Carol,
    Tiradentes é outro encanto com essas características, sem falar no charme... Mas Ouro Preto tem uma atmosfera, um clima de mistério, um "peso" dos séculos... que acho difícil rivalizar.
    (seu blog tá show de bola, provando que não precisa ser chato pra falar de coisa séria, nem postar só abobrinha pra ser divertido)

    ResponderExcluir
  19. Rsss...

    RM?...

    Você tão "cioso!" com seu harém e eu
    é que sou ciumento, caboclo?...

    Justos céus!

    ResponderExcluir
  20. Érre,
    adoro esses encontros bloguísticos de opiniões! A Beth não conhece a Bete... risos!

    sobrou 1 tempinho e postei lá...

    vou ler Ouro Preto em outro tempinho que sobrar que sei que tô perdendo muito, sim!

    ResponderExcluir
  21. Portuga,
    cioso sou sim, com todos os amigos (ou todas, pelo menos... rss), mas por educação, caboclo!
    (sei que existe o substantivo feminino correspondente à poeta. Mas você não sabia que o idioma muda com os usos, não? É, caboclo. E o uso de "poeta" para ambos os gêneros é relativamente comum, ao menos aqui no Brasil. Você é contra?)

    Udi,
    quando a senhorinha quiser ou puder...
    O post no RM NO VERBO é show. Uia!

    ResponderExcluir
  22. Rm!!!

    a essas horas e cê vem falando em perdas???
    ...nem assim, nego, nem assim... tô pilhada!!!
    BJUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU

    ResponderExcluir
  23. Tetê,
    que menina mais elétrica, heim? rss

    ResponderExcluir
  24. Quem é Maria Luiza?

    =) (lindo nome)

    ResponderExcluir
  25. Bom dia, senhora representante do Santo Ofício! rss

    A Malu é uma gatinha, prima da AP e integrante licenciada dessa Confraria. Além do bom humor que caracterizava seus posts (ela infelizmente fechou o blog) é também grande admiradora da poesia de Elizabeth Bishop.

    Quer ver uma foto dela comigo?

    http://verbofeminino.blogspot.com/2007/12/rm-ou-rn.html

    ResponderExcluir
  26. Que heresia! rs

    Paulinho do Roupa Nova? hahaha. fisicamente? - só se for pela estatura - o cara é careca, Sansão!

    A Malu é maluqinha messsxmo...rs

    ResponderExcluir
  27. RM,

    Hoje estou aceitando todas as explicações. Se usa, usa e ponto final.

    Mas não estranhe se te chamar Araújo... aqui se usa! Rsss...

    CBrincadeirinha)

    ResponderExcluir
  28. Olá, RM:

    Apesar de ainda estar em RP e, neste horário, devesse estar tomando um(uns) chope(s) pingado(s) no Pingüim, que é de lei, abro uma exceção excepcional para visitar o blog dos venenos. E encontro um belo post sobre a minha/nossa Ouro Preto. Parabéns.
    Eu também tenho histórias e um caso de amor/desamor com a cidade. Mas isso um dia contarei lá no PG.
    Sobre Dona Olímpia, acho que seria interessante se alguém pudesse fazer um contato aí em BH (por que não você, mesmo?) com o Maurício Andrés (arquiteto competente e filho da escultura/pintora/gravadora Maria Helena Andrés). Ele era meu amigo, mas há muitos anos (ou décadas) não o vejo e, daqui de Sampa, fica difícil tentar localizá-lo.
    Nos anos 60, ele produziu um belo curta-metragem de 16 mm. sobre a "Dona Olímpia de Ouro Preto" (se não me engano era este o nome do doc).
    O contato seria para saber dele se existem cópias deste filme 16 mm. ou se, eventualmente, ele não poderia postá-lo no YouTube para que outras pessoas conhecessem a verdadeira Dona Olímpia, em todas as suas dimensões de miro e realidade, que eu conheci bem quando fui dono de um barzinho em Ouro Preto, chamado Pelourinho (que ficava na Ponte dos Contos, ao lado da Casa dos Contos). Foi uma época inesquecível da minha vida. Ela era uma figuraça e o filme do Maurício Andrés, que pouca gente conhece hoje em dia, registra isso.
    Abraços,

    MR
    23/5 - 13:33

    ResponderExcluir
  29. Mr Almost

    Entonces, aceite mais uma explicaçãozinha... Algumas "poetas" não gostam muito de serem designadas "poetisas", porque, dizem, o vocábulo carrega um sentido pejorativo e preconceituoso; afirmam que poeta é quem sabe escrever versos, sem diferença de gênero.

    ResponderExcluir
  30. Ei ÉrreEme!
    Como leitora assídua deste blog (ao menos nos últimos 3 ou 4 meses), diria que este é o melhor de todos!

    (e você dizendo que eu não estava perdendo nada! ...já pensou seu eu acredito e deixo passar batido?!)

    Tenho a impressão que uma das qualidades de um escritor é dar a sensação, ao leitor, de que aquilo foi escrito para ele... e eu fiquei com essa sensação em cada um dos temas que você aborda.

    Tenho a impressão que Ouro Preto é um lugar que realmente fala ao seu coração (acho que você já mencionou férias de infância/ adolescência passadas lá, não é?), daí a produção desses textos deliciosos, saídos diretamente do coração, nénão?

    Maravilhosa leitura para um sábado ensolarado! Obrigada!

    E esse "one art" (esse título me diz mais) é tuuudo que eu precisava! aprender a perder como a arte do desapego... perder-se de si mesmo é possibilidade de encontrar... tudo! (queria um pouquinho da minha experiência pessoal de meditação?! taí, nego!)
    ;)

    ResponderExcluir
  31. ...e ainda poderia ficar aqui a escrever ainda mais!
    Tremendamente inspirado e inspirador!

    ResponderExcluir
  32. Cora,

    Que eu saiba a única poetisa que referiu-se expressamente a esse facto foi Clarice Lispector, numa entrevista.

    Só que isso é o que a pessoa acha de si mesma, e não pode (ou não deve)ser extrapolado do contexto e da autoria. Florbela Espanca ou Sophia Mello Breiner, se calhar goatavam de ser apelidadas de "poetisas".

    Também conheço um realizador de cinema que disse que se achava apenas um trabalhador comum, mas não chamamos trabalhadores comuns aos realizadores de cinema, nem todos os realizadores de cinema se acham trabalhadores comuns, embora, todos eles façam cinema.

    ResponderExcluir
  33. Cora,
    rss. Pra você ver que a turma me sacaneia já faz um bom tempo...
    A Malu(quinha) é um doce; nos encontramos aqui em BH mais ou menos na época daquele post; ela, a Luciana G, o João (marido da Luciana) e euzinho e nos divertimos à beça...

    Portuga,
    aqui as duas formas são usadas e confesso que ando perdendo o sono com essa importante questão etmológica... rss

    MR,
    putz, cê tem mais história que a dona Olympia! rss
    Dê ao menos uma palhinha sobre os causos e aguardaremos o post ainda mais interessados.
    RP? Vai matar o Portuga do coração... quaqua e qua

    Udi,
    você nunca foi à OP, nega?
    Então vá!
    Escreva mais, inspirada e inspiradora...
    Thanks, querida!

    ResponderExcluir
  34. Claro que já fui, Érre!
    Ou cê acha que minha paixão por Minas é só por causdocê?! (...risos!0

    Neguim mineiro, e esse rss (rrs? ...aaaah! seilá!) que não atualiza?
    quero ver meu postinho aparecendo ali do ladinho! (...risos!)

    ResponderExcluir
  35. ...mas (claro!) conhecer você fez a maior diferença no conceito (prá lá de bom!) que tenho das Minas Gerais!
    :)

    ResponderExcluir
  36. Almost, meu lindinho

    Em termos de uso semântico, essa é uma questão de lana caprina...rs.

    Façamos assim: vc usa "poetisa" para designar mulher que faz versos de muita qualidade e eu chamo a todos esses seres com tais maravilhosos dons para a poesia, de poetas =)

    ResponderExcluir
  37. ...é! não sei bem como foi que tudo isso começou mas estou com a Cora... também as chamo poetas.

    ResponderExcluir
  38. Rm e Cora,

    Combinado!

    Esqueçamos essa questão dos géneros.

    Vou até riscar poetisa no meu dicionário. Não existe mais feminino!

    Afinal, hoje em dia é tudo unisexo, né?...

    ResponderExcluir
  39. Udi,
    ah, então você já é quase uma japinha mineira... rss

    ResponderExcluir
  40. Cora, Udi e Portuga,
    sobre a mui relevante (rss) questão dos usos e desusos das expressões poeta e poetisa:

    1) A flor do lácio, legado do velho Camões, entre outros, nos deixou também algumas armadilhas. Por exemplo, nem tudo que tem "mérito" pode ser considerado meritório, como salta aos olhos a expressão meretriz... rss

    2) O inglês, idioma dos piratas, é bem mais simples. Tanto homens quanto mulheres (e as infinitas possibilidades entre esses dois extremos... rss) são chamados poets. Poet no singular.

    3) Mesmo a nossa belíssima língua não distingue todas as palavras por gênero. Por exemplo: tanto o quanto a economista são assim chamados. E muito embora algumas delas estejam mais para machos (rss) ninguém reclama.

    4) E não vale apenas para profissões: um ou uma panaca, sempre será panaca! rss
    Em quaisquer dos lados do Atlântico...


    Portuga,
    "unisexo" só se for pra você, caboclo...
    Eu heim? rss

    ResponderExcluir
  41. Mr. Almost,

    que nem as flores? rs


    RM, discordo.

    - "Uma vez Flamengo, sempre Flamengo"!

    E não se fala mais nisso!!! rs

    ResponderExcluir
  42. Ué, Cora,
    não era Vasco?

    quaqua e qua

    ResponderExcluir
  43. Érre, mais um comment que poderia ser um post! Adorei!

    Mr. Almost: sexo é sempre bom de dois... uni?! de um?! (...risos!)

    ResponderExcluir
  44. Érrinho do meu coração!!
    [peguei vc agora!! haha e nem pense em olhar para meus pés, que já têm dono!!] Rssss

    ops... só pra descontrair!! cala-te!!

    Bem... aí, como eu ia dizendo... hã?? sei lá!! esqueci!!
    deixa pra próxima!!



    Udinha!! vou lá contar agora, tá?

    Mr. Almost: de uni nem precisa de camisinha, tá?
    e falando nisso... cê viu o Pior por aí, tadinho??? ele tá verde ainda??

    ResponderExcluir
  45. era?
    ...pois, não é mais. pode perguntar...

    ResponderExcluir
  46. Cora,
    bem, pelo menos não é Fluminense... rss

    Udi,
    qual? O da "japinha mineira" ou o do "poetas versus poetisas"? rss

    Tetê,
    já? Não me diga que é o... ah, you know, you know! rss
    Menina, cê parece que tá com comichão, daqueles que começam pelos pés e vão subindo, subindo... rss

    ResponderExcluir
  47. Érrezinho, Érrezinho! que linda postagem você ganhou da Beth, hein? Você inspira mesmo a mulherada, neguim mineiro! ("inspirar" vem adquirindo um novo sentido por aqui ...risos!)

    Claro que me referia ao "poeta versus poetisas"

    ResponderExcluir
  48. Monsieur, RM.

    Salut!

    Merci beaucoup! Vous êtes très gentil!

    Au revoir.

    ResponderExcluir
  49. Udi,
    como costumo falar (e o Portuga concorda plenamente... rss), é bem mais do que mereço! Agradeço, pois.
    Ah... então, quer escrever sobre o assunto?

    Mlle Beth,
    je vous remercie, ma chérie!

    ResponderExcluir
  50. Meus "queridos" amigas:

    Falando de géneros, no princípio havia dois: Adão e Eva, o homem e a mulher, o macho e a fêmea, o masculino e o feminino. Na minha perspectiva, é o certo.

    Porém, depois vieram os romanos e criaram o género neutro. Advêm daí todos os problemas: que é isso do género neutro? É um género assexuado? É um género bisexuado?

    Recentemente e nessa esteira, o mundo da moda criou o conceito de "unisexo", ou seja, algo que, de forma neutra, tanto dá para um género como para o outro (tipo RM... rRsss).

    E assim surgiu a ideia de um terceiro sexo, assexuado ou hermafrodita... tipo de "mulher poeta", tolerável pela incongruência dos tempos modernos.

    A propósito: sou vascaíno!

    ResponderExcluir
  51. Rss

    Vai me desculpar, caboclo lusitano, mas eu não "dou" nem pra um nem pra outro gênero... Eu heim? rss

    Ah, achei que você era PortuguesA!

    Quaquaqua

    ResponderExcluir
  52. Rsss... Não ?...

    Isso é o quarto género: o impotente.

    Por falar em dar e não dar, você tem dado imensas "informações" sobre certo portuga... Putz! Quem tem amigos assim nem precisa de inimigos!

    (http://www.backtype.com/url/erreeme.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  53. Não! Você dá?

    Sobre o "amigo" que dispensa inimigos, por acaso o "portuga" em questão estava escrito com a inicial maiúscula ou minúscula.

    Bem Portuga, se você vestiu a carapuça, problema seu! Mas o que me espanta é que você se dê ao trabalho de colecionar comentários meus em blogs alheios... Eu heim? rss

    ResponderExcluir
  54. Caboclo:

    Não coleciono comentários seus.

    Vou explicar o meu raciocínio par você entender:

    Ontem você falou num certo blog que começaria por "o" e que terminaria por "blogspot.com".

    Certo?

    Well, se você o conhecia realmente era provável que tivesse comentado lá nesse blog, all correct?...

    Então, em vez de procurar certo blog, procurei os seus comentários... Seria uma via mais fácil...

    Mas não encontrei comentários seus nesse blog... Encontrei em outros...

    It's so simple like that!

    ResponderExcluir
  55. Portuga,
    não se descontrole. Calma, muita calma nessa hora... rss

    Eu conheço, de fato, o tal blog. E não teria qualquer motivo para citá-lo no blog mencionado, nem em outro qualquer, a não ser instado por vossa ilustríssima pessoa a fazê-lo. Ou não coleciona sequer os seus comentários, feitos no seu blog?

    Se encontrou em outros porque citou estes? Explique, Portuga, explique...

    ResponderExcluir
  56. rm,

    né por nada não, mas meu tico e teco não conseguiram acompanhar seu raciocínio...rsrsr

    Misturar conceitos de economia mercado com poesia ( ou seria sentimentos) é bem complicado, me nêgo...rs

    Acho que de novo, preciso que desenhe...rs



    Beijos avassaladores!

    ResponderExcluir
  57. RM,

    Citei esse, porquanto, como bem sabe, estou interditado de me poder defender no blog da Rosinha dos limões.

    Nem o meu IP lá entra!

    E, claro, como não posso lá entrar para me defender, você e ela é como quem bate em ceguinho.

    ResponderExcluir
  58. Ava,
    vou lá explicar. Deixa só terminar uma postagem que vou fazer agora e tranquilizar o Portuga (rss).

    Portuga,
    você tem o seu próprio blog e aqui para fazê-lo; muito embora às vezes pense que talvez não o mereça. Só não entendo defender-se do quê? Nunca li nada naquele blog que o desabonasse ou merecesse réplica (digo isto do tempo em que conheço o blog referido, não outros blogs eventualmente mantidos pela mesma autora).

    Então, caboclo lusitano, creio que vossa ilustre pessoa está enganado e antes que os termos da conversa descambem mais uma vez, vou mudar de assunto, com sua permissão.

    ResponderExcluir
  59. Eu sou o Pior Homem do Mundo, RM.

    Tenho as costas feitas em cepo de pancada. Já nem sinto mais nada. Estou habituado a ser eu o mau da fita, o vilão, o palhaço, o pestinha, o tudo.

    Tem a minha expressa autorização para continuar a se divertir e fazer divertir os seus amigos com o portuga.

    ResponderExcluir
  60. http://www.youtube.com/watch?v=2Bnoh6GE858&feature=related

    ResponderExcluir
  61. rm,

    Estou meio perdida aqui...

    Que pergunta?


    Vc desenha muito bem...rsrsrs
    Agora entendi... Profunfo vc...rsrsrs

    Não se iluda... nos tornamos totalmente sem poder de discernimento quando estamos apaixonados...



    Bjs!

    ResponderExcluir
  62. Putz! rsrsrs

    Sobre o uso dos recursos...rsrsrs

    Bem eu compraria o sapato desejado...

    É essa a pergunta? rsrsrsrs



    Vc tá judiando dos meus Neurôniso...rs

    ResponderExcluir
  63. Cora,
    mengô! rss

    Ava,
    e deixaria de pagar o aluguel, nega impulsiva? rss

    ResponderExcluir
  64. O Aluguel eu pagaria depois!

    O sapato ia sumir da prateleira...rsrsrs


    É por aí! rsrsrs

    Ah, rm!

    Puxa cê também quer me complicar né? rsrsrs



    Meu pai falava que: "Mais vale um gosto do que 100 mil réis..."

    ResponderExcluir
  65. Muito bem, Avassaladora!!!

    Seus recursos, ao que parece, estão muito bem...rs

    ResponderExcluir
  66. ...já as escolhas... ahhh, as escolhas...

    ResponderExcluir
  67. Uai, Cora,


    Escolha é sempre uma roleta russa...rs


    Se vai valer a pena, só depois que a arma "mascar"...rs

    Viver é caminhar sobre o fio de uma navalha...

    Prefiro retalhar meu pés que não viver...rsrsrs

    ResponderExcluir
  68. Great!

    ..."Qualquer um que ouve entende
    Não precisa explicação
    E se for pensar um pouco
    Vai me dar toda razão

    A senhora, a senhorita e também o cidadão
    Todo mundo que se preza
    Nega fogo não

    Eu não sei viver sem ter carinho
    É a minha condição
    Eu não sei viver triste e sozinho
    É a minha condição
    Eu não sei viver preso ou fugindo"


    http://www.youtube.com/watch?v=rsMTr68ApOI

    ResponderExcluir
  69. Bela música para um fim de noite...

    ResponderExcluir
  70. Sei não... de avassaladora para tornar-se vassala é por um triz...rs

    ResponderExcluir
  71. Ava!!! posso?? dá licença de responder a D. Cora?


    ____________e teria coisa melhor?

    ResponderExcluir
  72. Teria, Tetê?

    Não sei. Vassala ou avassaladora, a melhor coisa ou coisa melhor,por via das dúvidas, é usar camisinha?...rs

    ResponderExcluir
  73. prá Cora:
    http://www.youtube.com/watch?v=rPbk-2QshzU

    :)

    ResponderExcluir
  74. Para Udi:

    http://www.youtube.com/watch?v=1mL6gwJunlQ

    :P

    ResponderExcluir
  75. Meu Deus, Deus meu!
    Como posso agradecer tamanha gentileza, delicadeza e carinho? Li o texto como se estivéssemos naquele butequinho da Savassi e vc estivesse me contando tudo isso em um bate papo regado à muita animação e cerveja gelada!! Tá sentindo o abração que estou mandando para vc agora? Ah, e como vc lembrou que "A Arte de Perder" é o meu favorito da Bishop? Eu vou chorar, tá?
    bjo no coração!!!
    Maria Luiza, menina maluquinha

    ResponderExcluir
  76. Ei Malu,
    só porque você é um doce e merece muito mais...

    Eu lembrei? Ué, você me falou? rss

    Beijão, nega maluquinha!

    ResponderExcluir