quinta-feira, 1 de outubro de 2009

PIOS



Ia comentar que este talvez seja o último zapping da série, mas depois das bordoadas que tomei na última postagem, melhor deixar pra lá... Quero abordar o fenômeno do twitter: se desde algum tempo tornou-se ociosa a leitura de jornais (em papel), agora parece dispensável até mesmo a leitura dos sites noticiosos. Basta entrar no twitter para deparar-se com um razoável clipping, já previamente "editado" (é verdade que a notícia é cada vez mais superficial, mas nada impede a quem tenha interesse aprofundar-se nos temas prediletos...). Selecionei alguns "pios" que relacionam-se com os temas que gostaria de tratar nesta semana:


Sobre a nomeação do novo ministro do Supremo
  • Falando em mistura de religião com política... "CNBB defende indicação de Toffoli para o STF" http://migre.me/7XX9 (aqui, da dona do Verbo ou dona Verba... rss).
  • "Função do STF é impedir que a minoria fique no poder", afirma o candidato indicado.Pelo que vejo daqui só se for minoria honesta (aqui, do meu amigo Carecão Indignado... rss).
  • SUPREMA IGNORÂNCIA: O problema com Tofolli não é que não tenha notório saber jurídico; é que é NOTÓRIO que ele não tem saber jurídico... rss (aqui, de um caboclo que eu admiro muito... rss).
Quem desejar uma análise mais detalhada pode, sempre, recorrer ao decano MR (aqui e aqui). Mas pensem pelo lado positivo: como ele será o mais jovem ministro do Supremo, terá muito tempo para aprender... rss


Sobre a mal cheirosa situação em Honduras
  • Oh céus, oh vida! Jornalista sempre apanha, em qualquer circunstância: TV denuncia agressão a jornalistas em Honduras - http://tr.im/A2pf (aqui, do Redneck, caboclo que já frequentou a confraria).
  • Empresários propõem retorno simbólico de Zelaya ao poder http://migre.me/7YTf / Alguém me explica esse "retorno ao poder simbólico"? (aqui, mais uma vez da dona Verba).
De novo recomendo o MR (aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui) para quem quiser se aprofundar. Aliás, diga-se de passagem, o decanão sustentou - praticamente sozinho e em toda a imprensa brasileira (não só a eletrônica) - a tese de que não houve um golpe de Estado no país centro-americano, mas o cumprimento de dispositivos constitucionais. Apesar de admirar o rigor analítico do caboclo, sigo discordando... Mesmo dispositivos constitucionais não carecem de legitimidade para que sejam observados e, nesse caso, o enunciado constitucional é tipicamente cucaracha: impõe penalidades até para quem ainda não cometeu um suposto delito (sem falar que o regime "constitucional" hondurenho não é exemplo para ninguém...).
Mas o que realmente queria destacar nesse tema é o rotundo fracasso da política externa de Lula. O Itamaraty perdeu todas as disputas nas quais se envolveu e continua perdendo credibilidade em casos como este de Honduras e outros:


Lula, Chavéz e Ahmadinejad
  • Ilmo.Sr. Presidente d Brasil: seus relacionamentos internacionais me cheiram a risco aos meninos d nossa terra: escolha melhor suas amizades internacionais, e tire seus pés d futuro das crianças, especialmente de nossos meninos! (aqui, da Christina Montenegro, especialista em homens... Eu heim? rss)
  • Em 1983 Khomeini definiu a transexualidd como ‘doença’ q pode ser ‘curada’ p meio d 1 operação. Assim foi possível p 1 alto líder religioso xiita financiar transformação física d seu secretário em 1 mulher e se casar com ele (aqui, também da Christina Montenegro).
Infelizes, para dizer o mínimo, as recentes declarações brasileiras em (velado) apoio ao regime ditatorial do Irã e ao seu presidente psicopata. José Maria da Silva Paranhos Júnior, o célebre Barão do Rio Branco, gastou décadas de sua vida para conferir um mínimo de credibilidade à diplomacia brasileira; perdida em poucos anos pela dupla de idiotas Lula-Amorim. A propósito, neste exato momento a Comissão de Relações Exteriores do Senado delibera sobre a entrada ou não no Mercosul do "democrático" país de Chavéz (acompanhe ao vivo aqui).
Ah, vocês sabiam que o aiatolá Khomeini era boiola? Ou seria "boiotolá"? rss
.

36 comentários:

  1. bem te vi
    fique aí
    vou ali
    volto já
    viu?

    ResponderExcluir
  2. Esse é o seu estilo!

    Um giro pelo Brasil e pelo mundo...

    Informação quentinha.. saida forno...

    Como nos privar disso?

    ResponderExcluir
  3. Ei baiana,
    ok. Mas você vai onde dessa vez, Tibet ou Islândia? rss
    Respondendo aqui seu comment ao post anterior: as estatísticas já mudaram um bocado, mas a Bahia comparece apenas com Salvador, com 4,8 % dos hits.

    Anônimo(a),
    agradeço o gentil comentário...
    E você já voltou pra Juiz de Fora? rss

    ResponderExcluir
  4. Adorei, moço. O caminho é este, é este o estilo.

    Só não gostei de uma insinuação de que está parando, dando um tempo, sei lá...

    Mas não vou cobrar, não!! Quem sou eu pra cobrar isso?rsrs

    Não dei conta de continuar com o blog por motivos de força menor mesmo. Toma tempo, toma fosfato, tem que acompanhar etc. Bate preguiça.

    No Twitter eu pio, mas só quando posso ou quando quero. Se quiser sumir dias, sumo. Demorei a curtir a idéia (parece uma conversa particular no celular, mas no Viva Voz e com toda a mea do bar ouvindo- e palpitando. rsrs). Só funciona se vc seguir umas 100 pessoas interessantes.

    Vamos que vamos, só não desapareça, porque conteúdo é o que todos precisamos´!!

    beijão!

    ResponderExcluir
  5. ahahahahah

    obrigado pela referência. Uma pena que todo mundo fique no twitter e não visitem muito os blogs onde podemos realmente escrever.

    abraço

    ResponderExcluir
  6. Ei Luciana,
    só intimando, heim? rss
    Thanks, querida; mas longe de mim querer ser modelo para alguém, ainda mais profissionais do ramo!
    É; você vem sempre com essa desculpa dos "motivos de força menor", mas sabia que tinha que ter boteco no meio... rss
    Quanto ao twitter, não me pega: e eu sou lá de ficar piando? Sou é de cantar de galo, cabloca! rss
    Finalmente, acho mesmo que o chalezinho está com os dias contados. Sabe, é porque alguns me abandonaram por aqui (apesar de ter sido confortado por outros)...

    Grande carecão Rayol,
    prazer tê-lo aqui. E não é favor algum: tenho me divertido à beça com seus "tuítes"...

    ResponderExcluir
  7. Obrigada, embora me constranja bastante (naturalmente) esse apelido de "boiola" (mesmo para aiatolás fundamentalistas) por serem homosexuais.
    A gente corre o risco de se igualar a eles, já que o problema não está na homosexualidade, e sim no fundamentalismo e no preconceito...
    Estou abismada é com o silêncio da maioria quanto às "amizades" malsãs de nosso presidente (com minúscula reforçada por ele mesmo...)
    BJS!

    ResponderExcluir
  8. Ei Christina,
    como falei acima, não é favor algum: gosto muito das suas "micro-postagens". Como disse a Luciana, isto é conteúdo...

    Pois é, daqui a pouco o maluco presidente iraniano vai virar "cumpanheiro"...

    Perdoe-me o uso da expressão, tem só utilidade retórica. Não tenho nada contra a vida sexual de ninguém e acho que só interessa aos seus próprios donos... (além disso sou um troglodita politicamente incorreto... rss)

    ResponderExcluir
  9. ... "Mas isto tá muito bom, mas isto tá bom demais".

    A Luciana! Fénix renascida de oito meses atrás...

    Hum... Que cheiro a esturro!

    ResponderExcluir
  10. Prezado RM:

    Quer dizer que a Lu G reapareceu? Ela estavá oito meses num boteco? Assim não há fígado que agüente, Lu!
    Sobre o Twitter: tive uma curtíssima experiência, não gostei, acho que não é a minha praia, não encontrei conteúdo que fosse ao menos razoável ou textos que merecem ser lidos em nenhum tuiteiro -- saí para tomar umas e outras e não volto mais para esse botequim.
    Mais uma vez, grato, pelas citações do PG. E quanto a Honduras, continuo sustentando a mesma tese de que o que ocorreu foi um contragolpe -- o golpista era e é o Zelaya. O erro dos militares foi ter feito um acordo com ele para que ele concordasse em sair do país, quando deveria ter sido preso e, na seqüência, julgado pela Justiça com todas as chances de se defender.

    A partir do momento em que ele foi expulso e teve a chance de receber cobertura total do seu mentor intelectual e político que é o Hugo "Morde-Fronhas" Chávez, que tem experiência em recuperar o poder no grito, ele pôs a boca no mundo e o governo Micheletti passou a ser chamado de golpista.

    Este episódio vexaminoso da política externa brasileira em Honduras, de qualquer modo, é a negação de tudo o que foi feito pelo Itamaraty em mais de 100 anos, desde o Barão do Rio Branco.

    "Nunca-antes-na-história-deste-país", como diz o Apedeuta, tivemos uma política externa tão nanica, tão anã,do tamanho da ética do Lula e da estatura física do Celso Amorim.

    Abraços, brother

    MR
    1/10 - 20:01

    ResponderExcluir
  11. (risos)

    Essa internet sem fio é maluca... Cada dia está em um lugar...

    ResponderExcluir
  12. O problema do Toffoli é que ele vai aprender às nossas custas...

    ResponderExcluir
  13. Redneck,
    prazer tê-lo aqui, caboclo; convido para que volte mais vezes...

    Dom MR,
    consta que ela estava escrevendo uma tese de pós-doutorado sobre os botecos de BH... e com pesquisa de campo! rss
    Bem, tô discordando mais uma vez do caboclo: também não me atrai mas acho que o twitter veio pra ficar, principalmente como "chamada" e formador de pauta; o que nossa amiga, sempre pioneira, parece já dominar.
    Quanto às Honduras, reitero e reconheço sua posição consistente e corajosa, mas não dá pra defender aquelas oligarquias de mierda, que estiveram atoladas até o pescoço com o famoso caso dos "contras". Claro, também não apoio, de forma alguma Zelaya e seus comparsas "bolivarierdas"...

    Anônimo(a),
    pois então: agora você já está em BH. Por acaso o(a) amigo(a) trabalha de caixeiro(a)--viajante? rss

    AP,
    sem falar nas "custas" do processo... rss

    ResponderExcluir
  14. Bem, sou resistente a tudo que me dizem "você TEM que..." e o twiter apareceu-me assim, por isso resisto e ainda não mofei por resistir.
    Por incrível que pareça, o único que já havia entrado foi o da Christina, recomendado por você (talvez por tratar-se de uma especialista em homens ...risos!)

    ResponderExcluir
  15. ...e, prá dialogar com o comentário da baianinha arratada lá em cima:

    Poeminha do contra
    Todos estes que aí estão
    Atravancando o meu caminho,
    Eles passarão.
    Eu passarinho!

    Manuel Bandeira procê, parceirim!
    eles passarão
    você passarinho!
    ;)

    ResponderExcluir
  16. Esses resumos deixam-me sempre desconfiado.

    A nossa geração lia os livros, a seguinte lia resumos... a seguinte lerá no twitter:

    Leon Tolstoi: Guerra e Paz. Paris, Ed. Chartreuse. 1.200 páginas.
    Resumo:
    Um rapaz não quer ir à guerra por estar apaixonado e por isso Napoleão invade Moscovo. A rapariguinha casa-se com outro.
    Fim.

    -------------------

    2)
    Luís de Camões: Os Lusíadas. Editora Lusitania.
    Resumo:
    Um poeta com insónia decide aborrecer o rei e contar-lhe uma história de marinheiros que, depois de alguns problemas (logo resolvidos por uma deusa super-gente-fina), ganham a maior boa vida numa ilha cheia de mulheres gostosas.
    Fim.

    -------------------

    3)
    Gustave Flaubert: Madame Bovary. 778 páginas.
    Resumo:
    Uma dona-de-casa põe os "enfeites" no marido e mete-se com o padeiro, o leiteiro, o carteiro, o homem do café, o dono da mercearia e um vizinho endinheirado. Depois entra em depressão, envenena-se e morre.
    Fim.

    -------------------

    4)
    William Shakespeare: Romeo and Juliet. Londres, Oxford Press.
    Resumo:
    Dois adolescentes doidinhos apaixonam-se, mas as famílias proíbem o namoro, as duas partes desencadeiam uma luta uma briga danada, muita gente se magoa. Então, um padre tem uma ideia idiota e os dois morrem depois de beber veneno, pensando que era sonífero.
    Fim

    -------------------
    Tenho mais, mas julgo que já dá para entender...

    Abraço,
    António

    ResponderExcluir
  17. Ei Udi,
    rss. Sabia que você era do contra...
    É só mais um veículo de comunicação, como toda a web.

    Tapadinhas,
    genial seu comentário. Também penso como você e cheguei mesmo a escrever sobre o assunto, mas se perdeu "nos blogs da vida". Lembro-me que o artigo terminava propondo aos leitores que realizassem uma busca no google com a expressão "Os Lusíadas" e a primeira resposta estava no Wikipédia, um resumo...

    ResponderExcluir
  18. Como é?... Rsss... "Genial"?!!!...

    ResponderExcluir
  19. Por quê "genial", porque você pensa igual?

    ResponderExcluir
  20. Não.

    Se você prestar atenção notará que são duas sentenças separadas.

    ResponderExcluir
  21. Parabéns tb ao genial comentário de Tapadinhas!!
    Quanto aos piados do tal do twitter, confesso que prefiro tornar-me surda aos seus apelos... Tive a curiosidade de uma vez só por lá passar e achei um marasmo só! Na verdade não entendi nem mesmo como funcionava... Me pareceu com o diário escolar de uma jovem adolescente que tem até cadeadinho, já viu?? rs Depois que uma "socialité super ôca", que nem citarei o nome, escreve que irá tomar um sorvete de côco em Ipanema, ou diz que irá ao cabelereiro pentear suas madeixas, e o povo todo aclamando tais comentários e com mais de nem sei quantos mil seguidores......recuso-me a arrumar mais sarna pra me coçar!rs O tal do Orkut eu mal tenho entrado, pois confesso que o "saco" que eu nem tenho, esvaiu-se!! Será que tou ficando velha e ranzinza ?!@%*!! rs
    Agora, eu adorei mesmo foi saber da boiolice do aiatolá Khomeini!rs
    Todo homem que quer dar uma de machão demais, tem alguma coisa que não funciona bem... rs Toda vez que vejo um louco raivoso ao volante, eu digo pra mim mesma, ou pra quem estiver ao meu lado: "O pau dele é pequenininho do tamanho de um botão" !! rs E faço o gesto, é claro !! rs
    Beijos não piados!
    Helô

    ResponderExcluir
  22. Ei Helô,
    rss. Sim, o piado é chato, mas até que pode ser divertido... Agora, os chamados "profissionais" já aprenderam como fazer e aí é meio inevitável, como se dizia antigamente: melhor relaxar... rss

    A bem da verdade a Christina não falou que era o Khomenii... rss

    ResponderExcluir
  23. gostei do post!!! mas gostei mais ainda do chalezinho logo abaixo ...onde fica ? que maravilha! aproveite-o e aquele abraço!!!!

    ResponderExcluir
  24. Passei aqui só pra dar um oi... Esses meandros do a distância estão me enlouquecendo!!!

    Bjinhos...

    ResponderExcluir
  25. Ricardo,
    agradeço o gentil comentário.
    Simpático o chalezinho, não? É de uma pousada e está mais perto de você que de mim. Fica na Serra da Bocaina, divisa entre Rio, São Paulo e Minas; numa cidade chamada São José do Barreiro...

    Anne,
    agradeço, querida. Mas as distâncias estão cada vez menores, não? rss

    ResponderExcluir
  26. Well, sim, são duas sentenças convergentes.

    Mas eu te fiz uma pergunta directa, à qual você não respondeu.

    Bem sei que não lhe interessa o que eu penso, o que sinto e o que eu acho. Você está se lixando, já me disse.

    O que eu acho é que a posição do Tapadinhas (e a sua por aderência) é retrógadae esclerosada.

    Quer uma pista da argumentação?.. -- Sávia Gabi.

    ResponderExcluir
  27. 1) "Well, sim, são duas sentenças convergentes.
    Não disse que fossem divergentes...

    2) "Mas eu te fiz uma pergunta directa, à qual você não respondeu."
    A pergunta foi: "Por quê "genial", porque você pensa igual?
    A resposta foi: não!

    Você tem todo o direito de achar o que quiser, mas seria de bom tom respeitar opiniões diferentes, mesmo as "retrógadas e esclerosadas."

    ResponderExcluir
  28. E eu respeito, né?...

    Tanto respeito que nem emito a minha... Por delicadeza, digamos.

    ResponderExcluir
  29. Pois não, fique à vontade para não emitir sua opinião...

    ResponderExcluir
  30. Você anda muito lento... A pergunta foi "Genial?... Por quê genial?"...

    Outra pista: Fala aí ao teu filhote para, na segunda-feira, levar debaixo do braço o "Madame Bovary" para a escola, fala... Se não tiver esse livro aí em casa, sugere ao teu guri para levar o "Romeu e Julieta" um Shakespeare...

    ResponderExcluir
  31. Ah, pois não; é porque eram duas perguntas "convergentes"...

    Bem, eu achei muito boa resposta. Você dá licença?

    1) Expôs, com muita clareza, o quão pouco tempo as novas gerações dedicam à literatura. Da mesma forma, como são rasteiros e superficiais seus conhecimentos em, por exemplo, literatura. E como, em geral, escrevem mal.

    2) Associou este processo às novas mídias digitais, no sentido em que aprofundaram-se tais tendências, dadas suas características.

    Tenho ambas as obras em casa e, felizmente, uma razoável biblioteca de literatura universal. Também por sorte, o pirralho gosta de ler e já me pediu indicações de leitura. Mas claro, depende também do interesse dele.

    ResponderExcluir
  32. RM,

    O mundo mudou. A cada dia, a cada hora, há uma revolução tecnológica e um fluxo colossal de informações a serem processadas e que t~em de ser apreendidas.

    Os guris do século XXI, os de hoje, estão direecionados e vocacionados para acompanhar a evolução tecnológica. É com as aplicações dos pc's, com as dos celulares, com os videogames que eles interagem entre si, que ganham amigos. Jane Austen, na sua época uma jovem ousada e inconformada, hoje seria uma pessoa vulgar e sem amigos. Como a Sávia gabi, uma pessoa que nasceu no tempo errado, lembra ela dizer?

    No nosso tempo, também ganhavamos amigos por simpatizar com John Lennon, Eric Clapton, Supertramp... Havia dois canais de TV a partir das sete horas da tarde(o Bonanza, o Robin dos Bosques, lembra?) e agora há cem canais. Os bancários calculavam em cada final do ano, os juros dos clientes na máquina de escrever com papel químico, o que hoje seria impraticável.

    O futuro será o que é já um pouco do presente: a especialização. Não existe mais médico de clínica geral: há cardiologistas, neurologistas, pediatras...; não há mais professor de literatura: há professor de literatura clássica, moderna, contemporânea, professor de literatura francesa, professor de literatura inglesa, etc; não há mais advogado que faz tudo: há trabalhista, há fiscalista, administrativista, criminalista, etc.; Há engenheiro só para calcular pontes. Ou seja: nos últimos cinquenta anos assistiu-se a uma aceleração do conhecimento e do desenvolvimanto tecnológico, e a vida tornou-se de tal forma imediata, que, fora do hobby, é incompatível com o estudo profundo romântico dos autores românticos. As pessoas trabalham oito horas por dia, têm de descansar oito horas por dia, têm de fazer as suas tarefas diárias, têm de acompanhar o fluxo colossal de novas informações e têm de se divertir (essencial para viver bem), e sobra pouca disponibilidade (e tempo) para ler autores como Flaubert, Camões ou Shakespeare.

    Sejamos realistas, como o Geraldo Iglésias(http://sobretudodelona.wordpress.com):

    "Os livros estão ali, naquela quina de parede vermelha. É uma pilha razoável de autores interessantes. Falta tempo, falta o hoje, falta a capacidade desses olhos cansados buscarem luz e lentes para decifrar letras, umas colocadas atrás das outras, nessa esperança de recriar o universo, de recriar você, de recriar-me, por fim. Ou somos a criação do que está ali, naquela pilha? Sei que tudo pode ou tudo “dá”, mas falta algo, alguma coisa parecida com a ânima universal ou coisa parecida. Tem a necessidade de produzir alguma coisa rapidamente já que o tempo entrou em desabalada correria no enfraquecimento da emoção. E me desfaço, me assusto e me refaço outro, diferente, incomparável com o ontem… com os sonhos e as letras desse mistério, principalmente esse ‘ontem mais distante’…"

    Ah!... Meu PC, tá dando um erro... Vou ali à rua, chamar um guri que mexendo em apenas quatro teclas me resolverá o erro, o meu problema. Não creio que ele saiba quem foi Madame Curie, o que Tolstoi escreveu ou a razão porque Felix Block recebeu um prémio Nobel em 1952. Mas sabe resolver o meu problema. E é um guri, imagina!

    ResponderExcluir
  33. Desculpe, mas é uma tese bastante frágil...

    De fato o mundo mudou e, de fato, foi alta a velocidade da mudança. Mas a tendência à especialização é tão antiga quanto o século XIX (se não anterior) e a deficiência de formação intelectual causa os mesmos estragos em qualquer época.

    O caráter imediato com o qual se obtém informação atualmente, em nada se relaciona com a qualidade dessa informação. Ao contrário, na imensa maioria das vezes relacionam-se inversamente. Trata-se de peso morto, material improdutivo. Não creio que a moça e a literatura que ela produz possam ser caracterizados como antiquados...

    Conheço bem a teoria, na prática: recebo na universidade brilhantes estudantes que mal conseguem redigir 2 ou 3 parágrafos de forma inteligível. Formam-se aos vinte e poucos, antes dos 30 já são doutores, não obstante sua sofrível produção acadêmica.

    Achei no meu pc o artigo ao qual fiz referência. Não preciso de guri nenhum para me ensinar a mexer com essa coisa idiota que são os computadores. Ademais, é bem possível que o guri, após cobsertar seu pc, o utilize para trololó no msn ou para saber notícias do Benfica ou do Porto, gastando horas e horas nessas tarefas...

    Se houver interesse dos ilustres leitores desse bloguinho posso publicar o referido artigo novamente.

    ResponderExcluir
  34. Sim! é de interesse dos leitores!
    ...ao menos de 1 leitora.

    ResponderExcluir
  35. Seu voto continua contando muito, nega japinha;
    vou fazer a postagem daqui a pouco...

    ResponderExcluir