quarta-feira, 28 de abril de 2010

FAKES

Para Anne Moor

Essa figura à direita de Lula é Marcelo Branco, responsável pela campanha de Dilma na internet e quem escreve (muito mal, diga-se de passagem) os "tuítes" da candidata. Ah, ele também me bloqueou no twitter... quaquaqua


Não; nada a ver com a Anne, simpática blogueira "inglesa", nascida no Uruguai e radicada no Rio Grande do Sul. Nem com o pouco simpático Marcelo Branco, guru de Dilma Rousseff para assuntos de internet e (ir)responsável por atualizar o perfil dela no twitter. Tampouco com o nosso manjado Mr Portuga, que de agente secreto tem só o bigode...

Os fakes aos quais me refiro são músicos, compositores e cantores brasileiros do início da década de 70, que só cantavam em inglês. Fenômeno ligado a certos traços culturais brasileiros e também à emergência da música (e sua indústria) pop e da televisão brasileira (as telenovelas). A "fórmula do sucesso" era ser cantada em inglês e fazer parte da trilha sonora de alguma telenovela da Globo.

Morris Albert (Maurício Alberto Kaiserman), Terry Winter (Thomas William Standen), Chrystian (João Pereira da Silva Neto), Mark Davis (Fábio Jr.), Paul Bryan (Sérgio Sá), Steve MacLean (Hélio Costa Manso), Tony Stevens (Jessé), Michael Sullivan (Ivanilton de Souza Lima), Dave Maclean (José Carlos Gonsales) e os grupos Sunday, Pholhas e Light Reflections eram alguns gringos de araque que fizeram enorme sucesso e acabaram conhecidos como os brazilian singers.

A qualidade das músicas (exceto "Feelings e "Summer Holliday", na minha modesta opinião) é altamente discutível, mas o aspecto histórico compensa o sacrifício. Gosto muito de "Tell Me Once Again", que acabou mais conhecida por uma infame versão, feita anos mais tarde...

Com Morris Albert, Feelings (Morris Albert), 1974; canção que teve 6 mil gravações diferentes e vendeu mais de 100 milhões de cópias. Em fins da década de 80 a música foi considerada plágio por um tribunal norte-americano... (Vocês conhecem alguém processado por plágio de musiquinha que nada tenha vendido? rss) Outras canções de sucesso foram "Conversation" e She's My Girl".

Com os Pholhas (site oficial aqui), grupo de músicos paulistas juntos até hoje, She Made Me Cry ( H. Santisteban/O. Malagutti), 1972. Outras canções de sucesso foram "My first girl", "I Never Did Before" e "Forever".

Com Michael Sullivan (página oficial aqui), My Life (Michael Sullivan), 1976. Sullivan começou na banda "Renato e seus Bluecaps" e alcançou o maior sucesso coma dupla "Sullivan e Massadas". É um dos mais bem sucedidos compositores brasileiros; foi top "das paradas de sucesso em 60 países no mundo inteiro, incluindo as Américas, a Europa e o Oriente. Como produtor, vendeu mais de 60 milhões de discos, no Brasil e em toda América Latina." (citação daqui)

Com Chrystian (página oficial aqui), Don't say goodbye (autor desconhecido), 1973. Mais tarde forma com o irmão Ralf uma das mais bem sucedidas duplas sertanejas do país. Segundo a doutora Cora, minha consultora para assuntos "chrystianiais" (rss): "Chrystian disse que quando ele gravou 'Don´t say goodbye' não sabia falar nada em inglês - 'Podia estar até xingando minha mãe e nem sabia...'”

Com os Light Reflections, Tell Me Once Again (autor desconhecido), 1972. A memória pode me enganar mas creio que os tais eram integrantes da banda "Os Fevers", com os respectivos nomes "americanizados": bombaram de tanto vender discos... A baladinha é, na minha modesta opinião, uma pequena jóia, especialmente por seu arranjo de guitarras e vozes bem cuidado. Pena que algum imbecil resolveu faturar com a versão insossa, que acabou prevalecendo.

Por último, com Terry Winter, Summer Holliday (Terry Winter), 1972. A canção fez sucesso em 42 países e vendeu mais de três milhões de cópias. Seu autor, que já fazia sucesso antes como Tommy Standen, mudou de nome mais uma vez e como Chico Valente assinou vários sucessos da chamada música sertaneja...




.

17 comentários:

  1. Rsss... De agente secreto tenho só o bigode?... Rsss...

    Estou ocupado numa missão ultra-secreta, boy. Amanhã comento, ok?

    (Este caboclo tem cada uma! Agora eu não sou um agente secreto!... Rsss... Imaginem! O guri não sabe mais o que inventar... Tá mesmo a precisar de um ácido embebido na camisinha on a summer day... Rsss...)

    ResponderExcluir
  2. Cara ... bloqueado no tweeter da Dilma ... mas que moral ...

    ResponderExcluir
  3. Portuga,
    aguardo seu comentário "de mérito"... rss

    Flávio,
    no twetter da Dilma ele ainda não me bloqueou; apenas no dele mesmo...

    ResponderExcluir
  4. rm
    How sweet of you!!!! :-) O Portuga tem bigode????

    So... Feeling...
    If you see my life
    Poderás fugir
    Pero no me digas adiós...
    Just give me a smile,
    senta onde quererias estar
    y sueña con un dia de verano...

    Beijinhos :-)
    Anne

    ResponderExcluir
  5. ... Quanto aos méritos do post começo pelo mais gostoso: a Anne Moor. A Anne Moor é uma guria que além de simpática é parecida com a Dido do umbigo para cima e com a Sharon Stone do umbigo para baixo; ou seja, caboclo:

    Não é pró teu bico, tira daí a ideia, até porque o teu forte é a política e a música e não as loiras.

    O segundo mérito, que é um desmérito, vai inteirinho para o Marcelo Branco: não está certo que ele te tenha bloqueado já que você tem muito a ver com ele, seja por serem politicamente fakes, terem um colorido branco e usarem cabeleiras... E... Putz!

    Que fatiota é aquela do Lula, hein? O Lula entrou na confraria? Tsc, tsc, tsc...

    RM, ainda te vou ver abraçadinho ao Lula! Amor já há... Vai lá, guri, acrescenta aí à listinha:

    "Love's in the air" (http://www.youtube.com/watch?v=NNC0kIzM1Fo) do cabeludo Paul Young e da década de 70.

    ResponderExcluir
  6. Anne,
    como falei, você manda aqui, nega inglesa... E seu comment tá na medida: parece uma letra de música da década de 70... rss
    Se o Portuga tem bigode? Ué, tinha que ter cabelo em algum lugar, né? rss

    Portuga,
    lamento informar mas cortei a juba em fins do ano passado, tô quase careca... rss

    ResponderExcluir
  7. Mr Almost
    rsrsrsrsrs E quem seria Dido?????????????

    rm
    é uma mistura composta pra ti meu amigo rsrsrsrs

    Beijos aos 2
    Anne

    ResponderExcluir
  8. Então, Fábio Jr., aquele breguinha casadoiro sempre em busca da ♪ metade da laranja ♫ , era o estrangeiro "fake" Mark Davis?... E a dupla sertaneja Chrystian & Ralf eram os irmãos versáteis Chrystian e Don Elliot; os Pholhas eram paulistanos da Mooca e Tony Stevens depois alçou vôo como Jessé, seu nome de batismo??... ahahaha


    Engraçado é que, apesar de adotar nome estrangeiro e de se aventurar a cantar em outro idioma, aquele tempo de “estrangeirar-se” dos anos 70, não passava de macaquice, mas o “artista” era criativo...ou seria o "criativo" um artista?...rs:- Crystian disse que quando ele gravou “Don´t say goodbye” não sabia falar nada em inglês - “Podia estar até xingando minha mãe e nem sabia...”


    Rs...Santa cafonice, né errinho a toa!

    Sabe que olhando a fotinha no Twitter dá prá sacar que você era mesmo “um pão”...

    “do tempo do topete, brilhantina e vaselina
    Do tempo que sapato grande era sapatão
    E que galinha era comida só de domingão
    Do tempo que a vaca era a mulher do boi (um dia foi)
    Do tempo que homem que comia homem era só canibal”

    ...como dizia o recifense Michael Sullivan


    :D

    ResponderExcluir
  9. Anne,
    ainda bem, né? Se fosse pro Portuga ia ficar bravo! rss

    Cora,
    ótimo comentário. Vou aproveitá-lo (com sua autorização) no post, que ainda nem terminei...
    Mas como você sabe que eu "era"? Já me viu atualmente? rss

    ResponderExcluir
  10. rs...

    se já vi?

    Opa, se já! a-ham...

    eu diria que você está bem "conservado" (hohoho)

    E, querido,

    você pode tudo!

    ...ou quase.

    ResponderExcluir
  11. Ah, fotA não vale... Ainda mais aquela do "peito", tirada uns trocentos anos... rss

    Tudo ou quase tudo?

    ResponderExcluir
  12. E aquela do... ah, xá prá lá...rs

    ...Ou casi! almost!

    ResponderExcluir
  13. Ué, qual? Só te mandei aquela, não?

    Ah, o Portuga também te mandou?


    rss

    ResponderExcluir
  14. Mandou?

    ...tenta de novo?

    ResponderExcluir
  15. Vc careca, Rm?? Me engana, que eu gosto... rs
    Adorei o repertório dessa "surubada fake"!! Aliás, adorei, e, adorava, à época... Nem percebia esse modismo, naqueles tempos!! Já devia andar encantada e ocupada com "outras descobertas"... ( Oh yé!! rs )
    Ahhh, bons tempos, meu amigo, bons tempos...
    Preciso dizer que adorei a postagem?? Vc é um ban ban ban, quando o assunto é música e política............. ainda que eu prefira, e muito, a primeira opção!! rs
    Beijos fakes porém gostosos!! rs
    Helô

    ResponderExcluir
  16. Vou ficar porraqui zuvindo tudim... rs

    ResponderExcluir
  17. Cora,
    falou comiguinho ou com o Portuga? rss

    Helô,
    a gerência agradece, penhorada, a preferência. E diz que é um enorme prazer poder conversar com a gatona de Ipanema sobre música, modismos, bons tempos... Política? Tô fora! rss

    ResponderExcluir