sábado, 5 de março de 2011

MÚSICA E POESIA (10)

"As três graças do Brasil tem a cor da formosura."




























Resolvi dar seqüência a duas séries que não atualizava faz tempo: sobre grandes letristas da MPB e sobre música de carnaval. A primeira, como sabem os amigos mais antigos desse bloguinho, é sobre um fantástico "segundo time" de letristas, que só não é do primeiro time porque o blogueiro acha Noel, Vinícius, Chico e Caetano incomparáveis. Os anteriores: Abel Silva, Orestes Barbosa, Cacaso, Vítor Martins, Márcio Borges, Aldir Blanc, Fernando Brant, Ronaldo Bastos e Paulo César Pinheiro -, podem ser lidos (e ouvidos) na tag "música e poesia".

Já a série (que sequer assim se pretendia) sobre música de carnaval acresceu-se por corolário, já que o letrista em tela, Fausto Nilo, é dono de uma espécie de "lírica da folia". As demais postagens sobre o tema encontram-se na tag "música de carnaval".

A exemplo de outros letristas de sua geração (é nascido em 1944, em Qixeramobim, Ceará) Fausto Nilo vem do meio universitário, onde se formou arquiteto, profissão que ainda exerce atualmente e com sucesso - e da luta contra a ditadura militar. Integrante do grupo que ficou conhecido como o "Pessoal do Ceará" (Amelinha, Ednardo, Fagner e Belchior, entre outros) começou compondo para seus conterrâneos, principalmente com Fagner, no início dos anos 70. A parceria com Moraes Moreira e as canções para novelas da Globo, ambas iniciadas em meados dos 70 deram grande destaque ao poeta, que somou mais de 300 obras gravadas (aqui e aqui para biografias sumárias).

Do repertório carnavalesco destacam-se "Chão da Praça", "Bloco do Prazer", "Coisa Acesa", "Zanzibar", "Coisa Acesa", "Eu Também Quero Beijar", "Diga Aí Rei" e "Vida Boa", a maioria em parceria com Moraes Moreira e Armandinho.

Gosto muito de Três Meninas do Brasil (Moraes Moreira/Fausto Nilo)

Três meninas do Brasil, três corações democratas
Tem moderna arquitetura ou simpatia mulata
Como um cinco fosse um trio, como um traço um fino fio
No espaço seresteiro da elétrica cultura

Se a beleza não carece de ambição e escravatura
E a alegria permanece e a mocidade me procura
Liberdade é quando eu rio na vontade do assobio
Faço arte com pandeiro, matemática e loucura

Serenatas do Brasil, eu serei três serenatas
Uma é o coração febril, a outra é o coração de lata
A terceira é quando eu crio na canção um desafio
Entre o abraço do parceiro e um pedaço de amargura

Se eu ganhasse o mundo inteiro, de Amélia a Doralice
De Emília a Carolina, e os mistérios de Clarice
Se teu nome principia, Marina no amor Maria
Só faria melodias com a beleza das meninas

Quando o povo brasileiro viu Irene dar risada
Clementina no terreiro restaurando a batucada
Muito além de um quarto escuro, nos olhos da namorada
Eu sonhava com o futuro das meninas do Brasil

Deus me faça brasileiro, criador e criatura
Um documento da raça pela graça da mistura
Do meu corpo em movimento, as três graças do Brasil
Têm a cor da formosura


Mas minha preferida é: Flor da Paisagem (Robertinho do Recife/Fausto Nilo)

Teu zói é a flor da paisagem
Sereno fim da viagem
Teu zói é a cor da beleza
Sorriso da natureza

Azul de prata, meu litoral
Dois brincos de pedra rara
Riacho de água clara
Roupa com cheiro de mala

Zóim assim são mais belos
Que renda branca, que renda branca, que renda branca na sala
Quem vê nêo enxerga a praia
Nóis no lençol, nóis no lençol , nóis no lençol de cambraia

Teus zói no fim da vereda
Amor de papel de seda
Teus zói que clareia o roçado
Reluz teu cordão colado


Na lista: com Simone, Pequenino Cão (Caio Sílvio/Fausto Nilo), Pão e Poesia (Moraes Moreira/Fausto Nilo) e Você é Real (Piska/Fausto Nilo). Com Nara Leão, Amor nas Estrelas (Roberto de Carvalho/Fausto Nilo). Com A Cor do Som, Zanzibar (Armandinho/Fausto Nilo). Com Moraes Moreira, Três Meninas do Brasil (Moraes Moreira/Fausto Nilo). Com Fagner, Flor da Paisagem (Robertinho do Recife/Fausto Nilo). Com o Flor Amorosa, Espinha de Bacalhau (Severino Araújo/Fausto Nilo). Com Caetano Veloso, Coisa Acesa (Moraes Moreira/Fausto Nilo). Com Zeca Baleiro, Eu Também Quero Beijar (Pepeu Gomes/Fausto Nilo). Com Geraldo Azevedo, Dona da Minha Cabeça (Geraldo Azevedo/Fausto Nilo). E com Todos Juntos, Bloco do Prazer (Moraes Moreira/Fausto Nilo).


.

22 comentários:

  1. Eu tenho lembranças afetivas com esta:

    http://www.youtube.com/watch?v=Vl0rjeV2YOQ

    ...me remete a tempos aconchegantes!

    ♪♫ Felicidade é uma cidade pequenina
    É uma casinha, é uma colina
    Qualquer lugar que se ilumina
    Quando a gente quer amar♪♫

    :)

    Belo post, rm!!

    Um Beijão.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, querida. Achei que você gostasse de cidades grandes! rss

    ResponderExcluir
  3. E gosto! (E não só!)

    Mas referi-me às lembranças afetivas de "quando eu era criança pequena lá em Barbacena" (rs)

    (vc, pelo visto, não viu o vídeo... tsc tsc)

    ResponderExcluir
  4. Ah sim... o vídeo. Mas vou ver! rss

    ResponderExcluir
  5. Sei que você toca violão. Três meninas do Brasil é uma delícia, né não?

    ResponderExcluir
  6. Sim, grande japa; pra fazer o baixo no dedão!

    ResponderExcluir
  7. (por que será que eu vejo mensagens subliminares em tudo que tu diz, criatura...). Acho que preciso do analista de Bagé...rs

    Ah, e o título da linda música não é "Meninas do Brasil"?

    ResponderExcluir
  8. Ué, doutora Corinha! Você que só pensa naquilo e eu que devo saber o motivo? Eu heim? rss

    Não; o título é "Três Meninas do Brasil".

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Roney vc não é meio cafajeste não.

    ResponderExcluir
  11. Não sei se foi elogio ou crítica! Agradeço mesmo assim o comentário...

    ResponderExcluir
  12. (rs... tão bem educadinho!)

    Voltemos ao post; pero um pouco fora da tag "música de carnaval"...(ou não):-

    Mas, então, do Fausto Nilo, a letra de "O elefante" é bem tosquinha...tão imaginativa... mas com a melodia suave e arranjo do Robertinho do Recife ficou marcante, tanto que os caras contam que ganharam dim-dim com essa música nos anos 80...

    Achei, para ilustrar o seu bloguinho com a voz do compositor e acompanhamento ao violão de Zeca Baleiro, este vídeo, com "Pedras que cantam" - composição em parceria com Dominguinhos, em que ele se diverte contando que quando mandou a letra pro Dominguinhos, ele riu: "Só tu mesmo! Pedras que cantam! Quem sabe vem um besta aí e grava"...rs:

    http://www.youtube.com/watch?v=iXNEA-b6rw4

    (vê, vai! e não seja mal criado!)

    ResponderExcluir
  13. Ah, muito obrigado, doutora Corinha. Vou ver sim, com o maior prazer...

    ResponderExcluir
  14. Ops, este comment era pra ter saido no RM no Verbo.

    Coisa marrrrrrrrr esquisita!

    Risos

    ResponderExcluir
  15. Ah... Esquisita por que? Eu achei coisa marrrr linda! rs

    ResponderExcluir
  16. Aquilo lá tá mais pra sexshop! rss

    ResponderExcluir
  17. Meleeeeeecaaaa, qual delas lá é tu, tatu?

    sexshort, rm? rs

    ResponderExcluir
  18. Aquela lá, ué.

    Rsssssssssssssssss

    ResponderExcluir