quinta-feira, 9 de abril de 2009

POR QUE ELIS É A MAIOR CANTORA BRASILEIRA DE TODOS OS TEMPOS?

Atendendo à simpática blogueira Tetê


1º- Porque era dona de uma técnica vocal impecável
Apesar de não ter formação de canto lírico e, portanto, não impostar a voz; impressiona o domínio que tinha da respiração; a capacidade, intuitiva, de dividir os compassos sem atravessar o ritmo; e, uma afinação perfeita, do princípio ao fim das frases musicais, sem nunca semitonar. Reparem nesses aspectos, por exemplo, em As Aparências Enganam (Tunai / Sérgio Natureza); Dois Pra Lá, Dois Pra Cá (João Bosco / Aldir Blanc); Madalena (Ivan Lins / Ronaldo Monteiro de Souza) e É Com Esse que Eu Vou (Pedro Caetano).

2º- Porque suas interpretações transbordavam emoções e sentimentos
Por incrível que pareça, chegou a ser criticada por ter "apenas técnica". Convenhamos, precisa ser muito burro ou muito surdo... Talvez esse seja o aspecto que melhor a caracterize como intérprete, às vezes até com certo exagero dramático. Atentem ao escutar Se eu quiser falar com Deus (Gilberto Gil); Me Deixas Louca (Armando Manzanero / Versão: Paulo Coelho) e Aos Nossos Filhos (Ivan Lins / Vitor Martins).

3º- Porque lançou grandes compositores, muitos inéditos
Nada contra as novas gerações de cantoras-compositoras, mas cada vez menos grava-se novos autores. Foram os casos de João Bosco, Dori Caymmi, Milton Nascimento, Edu lobo, Ivan Lins e até alguns que talvez não fossem muito conhecidos se não lançados pela cantora, como Renato Teixeira, Tunai (irmão de João Bosco) e Belchior: Arrastão (Edu Lobo / Vinicius de Moraes); Upa Neguinho (Edu Lobo/Gianfrancesco Guarnieri); Me deixa em paz (Ivan Lins e Ronaldo Monteiro de Souza); Como Nossos Pais e Velha roupa colorida (Belchior); O Cantador (Dori Caymmi / Nelson Motta); Romaria (Renato Teixeira) e Maria Maria (Milton Nascimento / Fernando Brant).

4º- Porque formou um repertório com o que de melhor tinha a mpb
Dos clássicos do choro ao rock brasileiro, passando pela bossa nova e pelo samba, inclusive aquele feito em São Paulo. Sempre com um toque pessoal e arranjos excepcionais: Chovendo na Roseira (Tom Jobim); Nega de Cabelo Duro (Rubens Soares / David Nasser); Aquarela do Brasil (Ary Barroso); Carinhoso (Pixinguinha / Braguinha); Fascinação (F.D.Marchetti / M.de Feraudy / Versão Armando Louzada) e Tiro ao Álvaro (Adoniran Barbosa / Oswaldo Moles).

5º- Porque transformou algumas canções em clássicos
São muitas, cito da lista as que faltam: Casa no Campo (Zé Rodrix / Tavito); Me deixa em Paz (Ivan Lins / Ronaldo Monteiro de Souza); O Bêbado e a Equilibrista (João Bosco / Aldir Blanc); Aprendendo a Jogar (Guilherme Arantes); Só tinha de ser com Você (Tom Jobim /Aloysio de Oliveira) e Redescobrir (Gonzaguinha).

Incluí uma versão de Chega de Saudade (Tom Jobim / Vinícius de Morais), em dueto com Nara Leão, na qual o timbre metálico da cantora ameniza-se e prova, mais uma vez, que ela fazia o que queria com as cordas vocais...




ATUALIZAÇÃO (11/04/09 às 13:45 hs.)

Para aqueles que desejarem mais informações, encontrei dois bons sites com biografias e dados da carreira da cantora (aqui e aqui). Também dois blogs (aqui e aqui). Por fim, uma pesquisa nos blogs indica que a cantora é um dos temas mais postados na blogosfera (aqui).

Por sugestão dos meus amigos Cora e Marcos Rocha incluo vídeos de Atrás da Porta (Francis Hime / Chico Buarque) e a minha predileta, Na Batucada da Vida (Ary Barroso / Luiz Peixoto). Na barra lateral...

44 comentários:

  1. Queridíssimo, que post perfeito!!!

    Excelente.

    Beijo grande

    ResponderExcluir
  2. ah, rm... que sensibilidade do caramba, hein??!



    uma seleção de qualidade
    !

    ResponderExcluir
  3. Lindo lindo lindo!!!!! Obrigada rm for this...

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Cora, Maroca, Tetê e Anne,
    agradeço os simpáticos comentários (a Cora comentou? rss).

    Dá um trabalho dos diabos pescar essas músicas no site que as hospeda, mas o faço com prazer...

    ResponderExcluir
  6. rm,

    sabemos disso.

    hj deixo a rádio rm ligada por mto tempo, só curtindo essa seleção.

    bem... exagerei na resposta, mas espero não ter perdido o foco da pergunta.

    ..

    qdo deixei aquele comentário no post anterior, me referindo ao fato de não entender nada de economia,
    fui absolutamente sincera,
    porém quero deixar claro que não significa dizer que seja alienada.

    tenho dois homens em casa que já discutem isto todo o tempo que estão juntos
    e aprendi a sublimar este tipo de informação.

    então...
    daí minha burrice.

    por aqui, sempre
    .
    abç.

    ResponderExcluir
  7. Cantava bem, era uma good-badgirl que representava o descomportamento sensual da época e era dona de um sorriso para lá de conquistador.

    ResponderExcluir
  8. Tetê,
    achei ótima sua resposta (aqui: http://comcamisinha.blogspot.com/2009/04/sexo-anal.html), mas acho que você deve se policiar ainda menos e se permitir escrever de outras formas ou sobre outros assuntos.
    Encana não, nega! Claro que você não tem obrigação alguma de entender de economia. Aliás, nem eu... rss

    Flávio,
    eu tinha separado uns links biográficos e relativos à carreira da cantora, mas deu preguiça. Se eu atualizar o post os incluirei.
    Só cantava bem? Putz, quem você conheceu que cantava melhor?

    Anne,
    eu que agradeço, querida; tanta simpatia...

    ResponderExcluir
  9. Porque ela é ELIS REGINA. A Pimentinha. O Furação... O Mito, para sempre...

    Essa mulher intensa de voz excepcional deitou e rolou. Falou e disse com a musicalidade da sua voz, da sua alma, corpo e coração em tantas canções que eternizou de pura emoção...

    http://www.youtube.com/watch?v=35FPZR24djg

    Elis é simplesmente Elis.

    Perfeita.

    PS. A seleção da rádio RM não deixa margem de dúvida: - É A DONA DA VOZ.

    ResponderExcluir
  10. Oi, RM:

    Também sou tiete da Elis e concordo com tudo o que ocê diz no post. Senti falta de incluir "Atrás da Porta", do Francis Hime e do Chico Buarque, "Gracias a la vida" e "Los Hermanos", nesta seleção, que está primorosa.
    Quando você diz que ninguém põe mais emoção na interpretação do que ela, o melhor exemplo está na canção "Atrás da porta". Tem um vídeo no YouTube para comprovar isso. A emoção transborda do clip para dentro da gente.

    Sua morte precoce, em janeiro de 82, aos trinta e poucos anos, quando ainda tinha uma vida inteira pela frente, e ainda por overdose de cocaína misturada com uísque, foi um dos momentos que mais me chocaram...

    Abração, meu caro.

    MR
    10/4- 22:33

    ResponderExcluir
  11. Cora,
    finalmente concordamos até nas vírgulas. Pra falar a verdade (como já disse Nelson Motta), cada vez que aparece uma cantora nova, a Elis canta melhor...

    Dom MR,
    não encontrei algumas interpretações antológicas da cantora gaúcha no site que uso, vou postar o vídeo na barra lateral. Junto com outra que considero a interpretação definitiva de "Na batucada da vida".

    Os dois afinadinhos nos comentários, heim? Até escolheram a mesma música.

    ResponderExcluir
  12. ...achava que a sua predileta fosse "Querelas do Brasil", de Aldir Blanc e música de Maurício Tapajós - genial com a Elis... :p

    ResponderExcluir
  13. ... sempre achei que RM e eu tínhamos algo em comum...só não pensei que fôssemos tão afinadinhos... rs

    ResponderExcluir
  14. ops ops... traída pelo de sempre... quis dizer MR...ora vejam!

    ResponderExcluir
  15. O Bêbado e o equilibrista virou meio que um hino contra a ditadura. Choram Marias e Clarisses... Como nossos pais me assombrava porque eu não queria ser como eles (hahaha), enfim. Na época da faculdade, não havia uma festinha sem Elis. Mas há muito tempo que não a ouço mais.
    Beijocas e boa Páscoa!

    ResponderExcluir
  16. RM, bom demais...

    Gosto demais da Elis.
    Desde peuenininha a escuto.
    É até difícil dizer qual canção gosto mais na voz dela.

    Mas no momento vivido, tenho escutado muito Pixinguinha, e Carinhoso na voz da Elis é um luxo.
    Muito bom!

    Falando em mulheres, o que você acha da Clara Nunes?

    ResponderExcluir
  17. Cora,
    aproveita que eu não sou ciumento... rss
    Você sabia que a música "Lobo Bobo" (Menescal e Bôscoli) foi feita para ela?

    Denise,
    sim. Na verdade foi o hino da anistia: "a volta do irmão do Henfil..." (o Betinho).
    Acertei seu gosto de novo? Ôpa, tô melhorando, heim? rss

    Calila,
    suponho que ela sequer fosse viva (morreu em 1982, com apenas 36 anos).
    Menina, essa versão de "Carinhoso" é simplesmente espetacular.
    Gosto de Clara Nunes, outra que morreu muito jovem. No post a respeito de Paulo César Pinheiro (com quem a cantora foi casada) há uma música com ela...

    ResponderExcluir
  18. ... mas eu sou! rs

    E não, não sabia. Sabia que "Ladeira da preguiça", do Gil foi feita prá ela, a pedido...

    "Essa é a ladeira da preguiça
    Ela é de hoje
    Ela é desde quando
    Se amarrava cachorro com linguiça"

    (rs)

    ResponderExcluir
  19. só ouvindo boa música,
    e nem me atrevo a comentar no post seguinte...
    sei não, vai daí que escorego, hein...
    prefiro ficar só lá na barrinha
    mesmo
    !!

    ah,
    mas queria era agradecer!

    delícias de músicas
    !!

    boa páscoa!

    ResponderExcluir
  20. só ouvindo boa música,
    e nem me atrevo a comentar no post seguinte...
    sei não, vai daí que escorego, hein...
    prefiro ficar só lá na barrinha
    mesmo
    !!

    ah,
    mas queria era agradecer!

    delícias de músicas
    !!

    boa páscoa!

    ResponderExcluir
  21. Cora,
    a senhora deve saber que a cantora foi casada com Ronaldo Bôscoli, um dos grandes letristas da Bossa Nova. Mas eu chutei! rss
    Você é ciumenta? Óh, nem tinha reparado...

    Tetê,
    muito obrigado, muito obrigado e muito obrigado. rss
    Ah, comenta, nega!

    ResponderExcluir
  22. Mudei minha musiquinha no blog acompanhando você. Abraços RM.

    ResponderExcluir
  23. Mostra o bom gosto musical do caboclo japa...

    (não consegui escutar a música no seu blog)

    ResponderExcluir
  24. rm
    Mas a Clarisse ainda estava chorando pelo seu Herzog, que morreu durante a ditadura. Então, entendo que a música representa um todo...

    Beijocas e boa semaninha

    ResponderExcluir
  25. Sim, querida. Você tem razão.

    Mas assim como algumas canções ficam associadas a determinados eventos - por exemplo a canção de Milton e Tiso feita para o filme Jango, que acabou associada à morte de Tancredo - esta vinculou-se, definitivamente à campanha pela anistia.

    Recordo-me como se fosse ontem, deve ter sido lá pelos idos de 76, 77 ou 78; a música estreou na televisão, no programa Fantástico, o que era "fantástico", já que a emissora não era propriamente de oposição ao regime...

    ResponderExcluir
  26. Uau! essa é a maior playlist, nénão?
    Não vai dar prá ouvir tudo de uma vez...
    Tá lindo, as always! Tocante, as always! Thanks!

    ResponderExcluir
  27. Eu que agradeço, querida.

    Também achei o número de músicas exagerado. Creio que o máximo, em blogs, deva ser algo em torno de uma dúzia...


    (mas você não respondeu à pergunta que fiz, antes da postagem...)

    ResponderExcluir
  28. Ei ÉrreEme! Quê isso que tá tocando no "filminho" Elis e Tom?!

    (pergunta antes da postagem... think, think, think... peraê!... eu vou entender... juro que vou!)

    ResponderExcluir
  29. "Por quê Elis é a maior cantora brasileira de todos os tempos?"

    ...é essa a pergunta? (diz que sim, vai?)

    ResponderExcluir
  30. Ei Udi,
    acordada até agora, menina?

    Não, querida. Fia uma pergunta na página de comentários do post anterior. reproduzo abaixo:

    rm disse...
    Ei Udi,
    fiz duas seleções de músicas: uma com 26 canções interpretadas pela Elis e outra, gigante, com umas 70 músicas dos Beatles, depois da dissolvição do grupo, ou seja, músicas de Lennon, MacCartney, Harrison e Starr. Essa última acho que tem que ser dividida em pelo menos 3 postagens...

    Qual você prefere? (pergunta válida para outros ilustres leitores desse bloguinho)

    8 de Abril de 2009 19:20

    ResponderExcluir
  31. Ah, a musiquinha: sei lá, acho que deu tilt no gadget (até que dá um bom nome pra blog, não?)...

    E por falar em gadget, descobri um que toca músicas para meditação...

    ResponderExcluir
  32. Mas até que era uma musiquinha bem legal, não? rss

    ResponderExcluir
  33. Ei Érre... desculpe a lerdeza com a leitura... mas você vai postar os Fab 4 né? ...ou 4 Fab? ...?

    Elis tá lindo, querido! Ainda não consengui chegar ao final da playlist... mas já li todos os títulos escolhidos... a lista é irretocável, só alguém com tanta sensibilidade e conhecimento musical para conseguir sintetizar toda a imensa (e tão curta!) carreira da maravilhosa Elis (a dona da voz). Tá certo que Maria, Maria faz jus aos mineiros e ao muito que eles representam mas (ai... não queria por nenhum reparo nesse trabalho tão cuidadoso), Travessia é tão fundamental na trajetória da Elis, por ser tão característico de sua personalidade musical a de lançar gentes como nada menos que Milton Nascimento e João Bosco, concorda comigo?

    ...e ainda queria falar especificamente sobre Falso Brilhante.

    thanks, again!
    :)

    ResponderExcluir
  34. Você tem razão, moça.

    Mas é que a base de dados é restrita, não tem todas as canções que viraram clássicos na voz da Elis...

    Mas Travessia tinha. Eu fiquei em dúvida porque julguei que a Elis não defendeu Travessia (Milton e Fernando Brant) no festival, a exemplo do que ocorreu com Arrastão. Acho que foi o Milton mesmo, não?

    Falso Brilhante foi um nome de show e disco, não tinha música com esse nome não, tinha?

    Acho que vou montar 3 "programas" com as músicas dos 4 sacanas de Liverpool, depois do fim dos Beatles, né?

    Agradeço o mui generoso comentário, dona Udi. Você é um doce.

    ResponderExcluir
  35. (afffe... sou eu! dá prá avisar esse google?!)

    (ainda acordada, Érre)

    3 programas? John, Paul e George com 1 pouquinho de Ringo?

    ...você conhece "Another Day" do Paul? vou colocar lá no GoEar...

    ResponderExcluir
  36. Ô Google, é a Udi, pô!

    Insônia, nega?

    Yeah! Selecionei umas 30 e poucas do MacCartney, umas 20 e poucas do Lennon, uma dúzia mais ou menos do Harrison e 3 do Starr. Vou dar mais uma peneirada e soltar em 3 postagens. Qual o dia (da semana) você acha mais adequado?

    Conheço, claro, e já tá na lista...

    ResponderExcluir
  37. Tá de férias queridíssimo?

    Não vai escrever outro super post??? rs

    Ei, deixei um postzinho lá naquele outro blog que estava esquecido..rs

    bjs

    ResponderExcluir
  38. Érre, retrocedendo: Milton que defendeu Travessia? Não lembro... mas deve ter sido. Mas quem "apresentou" o cara foi a Elis, não foi? Ela era fera prá sacar as novidades. Mas outro dia, tava assistindo um especial sobre a Elis na TV Cultura (maravilhoso!) e ela contava como dispensou o Chico Buarque (acho que era prá cantar A Banda) e como a Nara se deu bem... tem dessas também, né?

    Sim, Falso Brilhante o álbum e também o show, que tive o privilégio (e idade) de assistir.
    O que eu queria dizer é que se tivesse que escolher um, dentre todos, seria Falso Brilhante. Mas não tem nehuma justificativa "técnica" ou racional (se tivesse, seria Elis e Tom), é completamente emocional, talvez por causa da época em que eu ouvia e também por ter assistido ao show.
    E tenho a impressão que é o que conta com a maior quantidade de canções nessa lista: Como nossos pais, Velha Roupa colorida e Fascinação... Além de terem sido citadas/ solicitadas outras 2 do álbum que eu também considero fundamentais apesar de não terem sido "imortalizadas": Los Hermanos (nao tenho certeza se é esse mesmo o título) e Gracias a la vida (essa última... uau!).
    Muito legal você ter incluído Tiro ao alvaro!
    :)

    Sabe que, como uma boa escorpiana, sou muito da desconfiada, né? Daí a natural pergunta: por quê eu saberia o melhor dia? Você é que sabe das coisas, ãn... como é mesmo? ah! ...você é que sabe das coisas, seu ÉrreEme ;)
    ...mas devia esperar um pouquinho, nénão? Tem muita música ainda prá se ouvir por aqui, concorda?

    ResponderExcluir
  39. Alô, alô marciano...

    Excelente o texto. Eu sou super fã de Elis. Na época que era moda pôr música na secretária eletrônica a minha era essa daí. :) Claro, na voz de Elis.

    Beijoca!

    (e obrigada pela recomendação!)

    ResponderExcluir
  40. Dona Cora,
    ^.^ pra você também...

    Dona Maroca,
    nada, nega! Tô trabalhando mais do que eu mereço, como dizia o Tom Jobim...
    Quer sugerir um tema?
    Vou lá ler o post novo.

    Dona Udi,
    agradeço o ótimo comentário, cheio de informações legais e que acrescentam muito ao postinho de minha modesta lavra.
    Quanto à questão do "dia pra postar": e por que você não saberia? E por que eu saberia? rss
    (brincadeira; é porque como deverá ser uma série, imaginei que pudesse eleger um dia da semana, sei lá; todo sábado à noite ou todo domingo à tarde, enfim...

    Dona Senhorita Rosa,
    agradeço o simpático comentário, querida.
    Não poderia ser outra música, no seu super bem humorado caso. O celular do meu filho toca assim: "Sofia! Sofia! Ô sofiadaputa, atende logo essa porra aí..." rss
    Ué, mas eu recomendei o texto da Rachel... Tá bem, tá bem, vou recomendar o seu também... rss

    ResponderExcluir