segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

DIREITOS HUMANOS, ABORTO E CASAMENTO GAY

OU O CRIOULO DO SAMBA ESTÁ CADA VEZ MAIS DOIDO...




Acaba de ser lançado em Brasília o Programa Nacional de Direitos Humanos 3, com a presença de Dilma e Lula, para variar... Entre os aspectos que definem a linha do programa estão alguns bastante polêmicos: a) a defesa do projeto de lei do casamento gay; b) a liberação do aborto; c) a proibição do uso de símbolos religiosos nos imóveis públicos; e, d) a criação de um grupo para investigar crimes de tortura ocorridos no período do regime militar (mais aqui e aqui).

Menos que uma questão de consciência - afinal todos podem ter opiniões sobre esses temas - chama a atenção o reiterado desprezo dos representantes do atual governo pelos mecanismos de mediação democrática. Querem sempre ganhar no grito - ou na marra. Não precisa ser muito perspicaz para reconhecer que, em todos os aspectos citados, a maioria da sociedade brasileira está distante (ou mesmo contrária) das posições assumidas no programa.

E mais: propostas como estas fazem parte de um rol de posições políticas (ou "palavras de ordem") identificadas com as esquerdas brasileiras (também com as de outros países), das quais seus representantes não abrem mão nem mesmo quando estão no poder e praticam políticas e alianças com setores dos mais conservadores.

Creio ser mais uma manifestação do esquerdismo doentio e sem conteúdo que cultivam, como são também exemplos as posições defendidas em relação aos meios de comunicação, que fiquei de tratar desde a última postagem... Ah, a candidata oficial tirou a peruca, como podem ver na foto da solenidade de lançamento do programa. Agora falta só tirar a máscara...
.

14 comentários:

  1. Eu caro mineirin, nós cá da roça quando vamos na capital e vemos as novidades, quando voltamos queremos loga é lançar moda... É isso meu caro, lá na Cop 15 nossos repersentantes se relacionaram com diversas culturas, algumas até com o cunho de "desenvolvidas", então como nós cá da roça: Lancemos as novidades!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Valério,
    nesse caso ainda bem que a reunião não foi em San Francisco, heim? rss

    ResponderExcluir
  4. Parceirim,
    Estou na dúvida se entendi bem sua colocação.
    O casamento gay, de fato, atinge apenas uma parcela da população, mas a questão do aborto é de uma imensa abrangência considerando as estatísticas (que não sei em números exatos, nem sei indicar uma fonta) de morte de mulheres por abortos provocados em condições precárias. Já esse assunto dos símbolos religiosos, deixo aqui uma enorme interrogação acompanhada de exclamação (?!) que assunto mais fora de propósito!
    Encerro assim... um tanto quanto inconclusiva, assim como esse "programa" de direitos humanos.

    ResponderExcluir
  5. Ei dona japinha,
    eu não dei minha opinião quanto ao mérito, até para não constranger eventuais comentaristas. E claro, respeito a opinião de todos.

    O que desejei destacar é que no país existe Parlamento, existe judiciário; enfim, vivemos (felizmente) um quadro de normalidade institucional que não requer que se faça "pressão" por bandeiras políticas que, notadamente, não tem muita aceitação na população.

    Mais grave ainda: trata-se de um governo eleito, duas vezes, sendo que essas teses nunca foram objeto de debate ou de programa de governo. Como falei, essa gente gosta mesmo, desde os tempos de movimento estudantil (que para eles nunca acaba), é de ganhar no grito!

    ResponderExcluir
  6. Fala baixo que estou com sono... Volto amanhã pra comentar pois agora só vai sair bobagem :-)

    Beijos e boa noite
    Anne

    ResponderExcluir
  7. Ok, Anne.

    Mas se demorar muito vai ficar com sono de novo, não? rss

    ResponderExcluir
  8. Aqui estou... rsrsrsrsrsrs

    Direitos humanos??? Precisa programa pra isso? Neste país 'direitos humanos' é para os ladrões e sua corja!!!

    Em espírito de Natal :-) que vão todos pro ...

    Direitos humanos deveriam ser exercidos diariamente sem necessidade de programa, specially um programa de girico!!!!

    Love you all
    Beijos
    Anne

    ResponderExcluir
  9. É isso, nega inglesa.

    Em qualquer lugar civilizado vale o que está na lei (ou na tradição, para lembrar seus passado anglo-saxônico). Aqui não: tem lei mas precisa de "pograma"!...

    ResponderExcluir
  10. Liga não, mineirim... rs Na verdade foi só um pretexto pra mostrar o novo corte de cabelo da nossa adorável Ministra!! ( ela até chorou! Correu uma lágrima pelo canto do olho direito... cê viu? rs )
    Quem sou eu pra acrescentar algo ao que vc apontou, insinuou e por aí vai... rs Tá tudo "concordado na marra" !!! rss
    Agora, me diga só uma coisinha...
    " criação de um grupo pra investigação de crimes de tortura ocorridos no período do regime militar" ?*!#? Tudo bem que tal assunto causará "arrupios e embruios no estômbago" ad eternum, mas não "estarará" um pouco fora de hora essa volta ao passado nesta altura do campeonato ?? E o que tá rolando por aí no presente, por dentro de muita meia e cueca?? Não seria mais premente não ??
    "Choise du loc" isto sim !!
    Bota o soro, please !! ( lembra desse quadro antigo do Jô ?? rs)

    ResponderExcluir
  11. E vamos passar pelo menos uns diazinhos sem os absurdos deste país!!! Quem viu a entrevista da Mônica W. no GNT ontem de noite - Entre aspas -????????? Será que os juizes e quetais não têm o que fazer de sério neste país???????

    F E L I Z N A T A L pra todos. EU vou curtir todos meus filhotes que estarão aqui pro Natal... Yippeeeee!!!!

    Beijosssssssssss
    Anne

    ResponderExcluir
  12. Helô,
    pois é: sem entrar no mérito, este é um dos temas polêmicos que o atual governo já tentou empurrar goela abaixo da sociedade mais de uma vez. E não desiste...
    Aliás, a falta de ética é uma das mais marcantes características do jeito lulopetista de fazer política. Dessa feita aproveitou-se o passado de presa política da candidata para tentar faturar politicamente. Lula, completamente desatinado (ou seria só "alterado" pelo teor alcoólico?), chegou a dizer que teria valido a pena "cada choque elétrico" sofrido pelos presos... Isto sim, "choise du loc"!

    Anne,
    não vi; do que se tratou?
    Agradeço muito e retribuo, querida!

    ResponderExcluir